O que você precisa saber sobre o acompanhamento pós-internação

22 de outubro de 2021
acompanhamento pós internação

A gestão da saúde de uma instituição, ou de qualquer esfera do setor público, requer grandes desafios. O acompanhamento pós-internação pode ser uma estratégia que garante bons resultados, tanto para o paciente quanto para o hospital que o recebeu. Isso porque um dos principais problemas para a redução de gastos desnecessários é a reinternação.

Para termos uma noção do problema, a taxa de readmissão de pacientes no SUS, em um ano, é calculado em cerca de 20%. Isso significa que, de 5 pacientes que recebem alta, 1 voltará em menos de 12 meses. Essa nova admissão está relacionada ao aumento nos gastos hospitalares e afeta, por exemplo, a superlotação das unidades.

Para reduzir essa taxa, estabelecer uma educação ao paciente é fundamental; afinal, a adequação às orientações prescritas na alta é um dos fatores que mais influenciará na necessidade (ou não) de retorno ao hospital.

Falaremos, a seguir, sobre a importância da orientação ao paciente e do acompanhamento no tratamento pós-internação. Continue com a leitura para saber mais!

Qual a importância do acompanhamento pós-internação?

Estudos apontam que 16,37% dos custos com hospitalização no Brasil são causados pela readmissão — um gasto que pode ser minimizado pelo investimento em programas que foquem a redução de reinternações. Uma das melhores estratégias, para isso, é estabelecer uma comunicação com o paciente para a conscientização sobre a importância de seguir corretamente a prescrição médica.

Por definição, quando o paciente recebe alta, seus cuidados estão em suas próprias mãos. Por isso, diversas variáveis podem influenciar a evolução do quadro e, em último caso, levar à necessidade de retorno ao hospital.

Consideremos, por exemplo, um paciente com baixas condições socioeconômicas, com dificuldade de leitura ou sem acesso à internet: não é difícil imaginar que ele possa confundir as orientações médicas ou ter uma baixa adesão à terapia proposta. Por esse motivo, é fundamental acompanhar de perto esse paciente, especialmente no período pós-alta.

Como funciona o acompanhamento?

A conscientização sobre os cuidados com as orientações médicas pós-alta é uma ferramenta importante para a recuperação dos pacientes. Para garantir o apoio necessário, é preciso trabalhar diferentes aspectos, como tirar as dúvidas dos pacientes, mantê-los informados sobre os resultados de exames e informar sobre os medicamentos.

Pensando nisso, o programa de Atenção Primária à Saúde (APS) da Sharecare conta com um acompanhamento específico de pacientes no contexto pós-internação. Chamado de Alta Hospitalar, ele possibilita contar com a telemedicina e uma equipe de especialistas que acompanha de perto a recuperação do paciente. Seu maior objetivo é reduzir as taxas e os prejuízos da reinternação, especialmente durante os primeiros 30 dias após a alta hospitalar.

O acompanhamento é feito de diversas formas e por meio de vários canais, sempre mantendo o foco no bem-estar do paciente. Nossa equipe de enfermagem entra em contato com o usuário para tirar suas dúvidas, saber se ele está usando os medicamentos de forma correta e estabelecer o vínculo terapêutico.

Além disso, a Sharecare se preocupa em cuidar de quem cuida do paciente. Por isso, realizarmos uma capacitação para profissionais da área da saúde, que é desenvolvida com atividades leves, trabalhando a humanização e melhorando a qualidade de vida.

Quais são os resultados esperados pela aplicação da prática?

A redução de reinternações representa um desafogamento significativo nos leitos dos hospitais, especialmente no meio público. Além disso, o paciente que recebe alta conta com o apoio estreito de profissionais capacitados para orientá-lo em sua recuperação. Isso aumenta as chances de sucesso terapêutico, diminuindo a taxa de retorno e de complicações.

O diferencial do Alta Hospitalar é sua base em uma vasta experiência da Sharecare nos Estados Unidos, somando 35 anos de aprendizado. Com isso, conseguimos identificar os pacientes que precisam de um acompanhamento mais próximo e utilizar as melhores ferramentas de conscientização e aumento da adesão ao tratamento.

Como a Sharecare apoia o paciente nessa etapa?

O Alta Hospitalar conta com dois objetivos principais: o primeiro é fornecer ativamente um canal de comunicação entre o paciente e a equipe de saúde, para nos certificarmos da adequação à conduta médica. O segundo é nos colocar à disposição do paciente, para que ele se sinta seguro e acolhido para tirar suas dúvidas, quando elas surgirem.

Para isso, o vínculo terapêutico é uma ferramenta valiosa. Ele traz maior confiança ao profissional que está entrando em contato e, portanto, o torna mais eficaz. É por isso que o Alta Hospitalar está inserido dentro de uma solução mais holística e focada na prevenção: a APS.

Como a estrutura da Atenção Primária à Saúde pode contribuir para o acompanhamento?

A APS visa a redução de problemas de saúde na população, oferecendo um atendimento individualizado e de qualidade. Essas ações são importantes para diagnosticar, prevenir e tratar o maior número de pacientes, com foco na prevenção. Com ações rápidas e eficientes, a APS proporciona mais bem-estar e qualidade de vida para os usuários da rede pública de saúde.

A estrutura da APS Sharecare organiza o acompanhamento dos pacientes de acordo com suas necessidades e riscos. Após esse mapeamento, o paciente é direcionado aos cuidados mais adequados ao seu perfil. A partir daí, ele começa sua jornada digital junto com sua equipe de saúde, que fica responsável pela assistência no plano de cuidados.

No pós-internação, a estrutura da APS vai além da prevenção básica, para aqueles casos em que apenas a prevenção não é suficiente — um exemplo são os pacientes com alto risco de complicação. Nesses contextos, a APS ajuda a manejar os riscos e definir a melhor estratégia a ser adotada.

A Sharecare é uma empresa responsável por mais de 70 milhões de pessoas em todo o mundo. Ela atua de forma internacional, trazendo atendimento de qualidade para a população como um todo. Com o investimento nas melhores tecnologias em saúde, conseguimos aliar o melhor das inovações disponíveis e o acompanhamento pós-internação.

Se você quer reduzir os gastos com reinternações e ainda oferecer um cuidado mais adequado à sua população, podemos ajudar. Entre em contato conosco para saber mais sobre como podemos auxiliar você e sanar suas dúvidas sobre nossas soluções.

Panorama sobre os custos da obesidade para o sistema de saúde brasileiro