Ansiedade na quarentena: como lidar com os impacto na equipe?

23 de agosto de 2021
Ansiedade na quarentena

O aumento dos casos de ansiedade na quarentena tem trazido diversas preocupações para a área da saúde. Esse contexto, inclusive, precisa ser observado pelas empresas, pois pode proporcionar diversos impactos na equipe de colaboradores.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Departamento de Farmacologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mais de 80% dos brasileiros apresentaram aumento de sintomas de ansiedade desde o início da pandemia de Covid-19.

Prestar atenção nessas tendências é importante para adotar medidas que ajudem a priorizar a saúde mental no trabalho e cuidar do bem-estar de toda a equipe. Neste post, listamos alguns fatores que aumentam a ansiedade na quarentena e como a empresa pode ajudar os colaboradores a lidar com esses problemas. Acompanhe!

O que pode causar ansiedade na quarentena?

Para começar, é preciso entender o que é a ansiedade. Ao contrário do que muitos pensam, esse tipo de reação não é sempre um problema para a saúde mental das pessoas. Trata-se de um mecanismo de defesa natural do ser humano, que une alterações emocionais, comportamentais e fisiológicas para adotar comportamentos de autoproteção diante de determinadas ameaças.

A ansiedade foi muito útil para a sobrevivência da espécie humana e ainda traz vários benefícios para a preservação da saúde e para a produtividade. No entanto, quando uma pessoa é exposta a muitos fatores ansiogênicos (estímulos que aumentam ansiedade), é possível que a reação ultrapasse os níveis desejados.

Sendo assim, a ansiedade se torna um problema de saúde mental quando atinge níveis altos, prejudicando o bem-estar de um indivíduo. Tendo em vista que ela é uma reação a possíveis ameaças, já era esperado que a população se tornasse mais ansiosa na pandemia, devido aos perigos trazidos pela disseminação do coronavírus.

No entanto, não foi apenas esse fato que provocou o aumento dos casos de ansiedade desde o início da pandemia. Confira alguns fatores que contribuem para esse problema!

Medo de ficar doente

O medo de se contaminar ou ver alguém da família doente é um dos principais causadores de ansiedade na quarentena. Afinal, a reação do vírus no corpo dos indivíduos ainda é muito imprevisível, e a pandemia gerou um grande número de mortos.

Por esse motivo, uma medida para manter todos mais seguros foi o isolamento social. No entanto, isso não fez com que o medo de ficar doente em meio a uma crise sanitária diminuísse, mesmo que a patologia não seja causada pelo coronavírus.

A ansiedade de pensar em precisar de assistência médica aumentou durante a pandemia. Isso fez com que muitas pessoas, no início da quarentena, redobrassem os cuidados com a saúde e buscassem formas de prevenir doenças, provocando, inclusive, comportamentos de hipervigilância.

Diminuição do contato social

A quarentena fez com que a maioria das interações sociais migrasse para o ambiente virtual, a fim de garantir o distanciamento e reduzir a contaminação pelo coronavírus. Consequentemente, passar muito tempo sem ver os amigos, família e demais pessoas fez com que novos comportamentos surgissem, acentuando os sintomas de ansiedade.

Falta de perspectiva para o fim da pandemia

Isso também é um fator que contribui para o aumento da ansiedade. A falta de perspectiva para o fim da pandemia e a demora para o início das vacinações no Brasil também trouxe muita instabilidade emocional e insegurança com o futuro.

Planos que precisaram ser pausados, contatos que foram se perdendo e demais problemas provocados pela pandemia se tornam ainda mais difíceis de lidar quando as pessoas não conseguem estimar quando um contexto seguro será reestabelecido.

Exaustão emocional

De início, esperava-se que a quarentena durasse apenas 15 dias. Em seguida, o prazo estimado foi de 40 dias. Logo, conforme o coronavírus foi estudado, não foi mais possível prever o tempo que levaria para que o avanço da pandemia pudesse ser contido.

Assim, o Brasil já se encontra há mais de um ano no contexto pandêmico. Toda essa situação gera uma exaustão generalizada, que afeta, especialmente, o aspecto emocional das pessoas.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a chamar esses sintomas de ansiedade e de esgotamento mental provocados por esse longo período de fadiga pandêmica. Essa exaustão emocional pode afetar muitos profissionais, inclusive no ambiente de trabalho.

Como a ansiedade dos colaboradores pode afetar a empresa?

O aumento da ansiedade na sociedade também pode interferir na equipe de uma empresa. Afinal, os colaboradores estão expostos a fatores sociais e ambientais que contribuem para a incidência de sintomas ansiogênicos, viabilizando o aumento do presenteísmo.

Desse modo, aumentam também as chances de comportamentos de ansiedade no trabalho, que podem impactar a produtividade, o clima organizacional e o desenvolvimento da empresa.

É por esse motivo que é importante oferecer suporte emocional à equipe, em especial àqueles que estão passando por um quadro de ansiedade. Quando um negócio visa manter os colaboradores saudáveis mentalmente, é necessário estabelecer um conjunto de medidas que contribuem para o crescimento sustentável da empresa e uma melhor cultura organizacional.

Quais são as melhores estratégias para apoiar a saúde mental dos colaboradores?

Tendo em vista esse contexto, torna-se importante que a empresa desenvolva ações efetivas e bem pensadas em todos os colaboradores. Dessa forma, é fundamental encontrar estratégias que integrem diversos fatores para promover a saúde física e mental.

Uma atenção importante é quanto à rotina de trabalho. Adotar uma carga horária mais flexível permite que esse momento seja mais leve, principalmente quando há o retorno para as atividades presenciais. Além disso, oferecer benefícios que incentivam a qualidade de vida, em especial a assistência médica e psicológica, faz toda a diferença.

Outra iniciativa de apoio aos colaboradores é a conscientização sobre a atenção à saúde mental. Muitas pessoas não conseguem identificar sozinhas quando estão passando por patologias que afetam o psicológico. Assim, palestras ou conversas informais, mediadas por profissionais capacitados, podem ajudar a ter essa percepção.

Como a Sharecare pode ajudar a sua empresa nessa missão?

A Sharecare é especialista em soluções para a gestão de saúde da população. Por conta disso, atuamos oferecendo apoio às empresas, com o objetivo de ajudar a reduzir custos com planos de saúde, promovendo o incentivo ao bem-estar.

Tudo isso é feito por meio da integração entre saúde digital e serviços humanizados. Essa iniciativa potencializa os resultados, utilizando tecnologias de ponta que auxiliam nos cuidados personalizados com o bem-estar dos colaboradores.

Como visto, falar da saúde da equipe envolve também voltar a atenção para o aumento da ansiedade na quarentena. Oferecer recursos que ajudem os colaboradores a superarem esses problemas é uma das preocupações que todas as empresas devem ter para manter o bem-estar do quadro de profissionais.

Conte com a Sharecare para cuidar melhor dos seus colaboradores. Entre em contato conosco e saiba mais sobre os nossos serviços!

Panorama sobre os custos da obesidade para o sistema de saúde brasileiro