Atendimento psicológico: conheça os principais tipos

10 de janeiro de 2022

O atendimento psicológico tem se tornado cada vez mais importante para a saúde das pessoas no dia a dia. Em tempos de pandemia, a psicoterapia se mostrou ainda mais como uma grande aliada para a melhora do bem-estar e prevenção de transtornos mentais.

Indo além da saúde mental na pandemia, um psicólogo pode ajudar muito em diversos aspectos da vida de um indivíduo, como para lidar com problemas no trabalho, superar medos e inseguranças, desenvolver inteligência emocional, entre vários outros pontos.

No entanto, ao falar de atendimento psicológico, é preciso pensar também na linha de abordagem terapêutica. Atualmente, existem vários tipos de psicoterapia, e conhecê-las é importante para identificar a finalidade de cada uma delas.

Neste post, vamos trazer os principais tipos de atendimento psicológico e explicar como é a abordagem em cada um deles. Acompanhe para saber mais!

Psicanálise

A Psicanálise é uma das clássicas linhas de abordagens psicoterapêuticas. Desenvolvido pelo ilustre Sigmund Freud, esse é um tipo de atendimento psicológico que tem como chave estudar o inconsciente.

Desse modo, durante as sessões, é comum que o paciente fique sentado ou deitado em um divã, de costas para o terapeuta. Essa estratégia faz com que se sinta mais confortável e livre de julgamentos para falar o que quiser.

A partir dos relatos e conversas, o terapeuta e o paciente podem identificar comportamentos que entraram no automatismo, além dos sonhos. Afinal, são essas as principais manifestações inconscientes que produzimos e que podem indicar algum traço de personalidade.

Lacaniana

A Lacaniana é uma abordagem também da Psicanálise, contudo, com outras estratégias. Dessa vez, a ideia vem de Jacques Lacan, que acredita que a linguagem é a chave para o inconsciente.

Sendo assim, em sessões de terapia lacanianas, é possível esperar muitos momentos de conversa. Esse é um tipo de atendimento psicológico que funciona muito bem com quem está em busca de autoconhecimento e não consegue se abrir facilmente com outras pessoas.

Cognitivo-Comportamental

Problemas cotidianos, dificuldade de se relacionar com a família ou com amigos, ansiedade no trabalho, fobias, pensamentos depressivos, esgotamento mental: todos esses são fatores que podem ser muito bem trabalhados na terapia de linha Cognitivo-Comportamental. 

Nesse tipo de atendimento, o psicólogo e o paciente buscam entender as raízes do problema e encontrar, juntos, soluções práticas, a fim de aprender a lidar com aquilo que traz desconforto ao indivíduo.

A terapia Cognitivo-Comportamental é uma das mais procuradas no momento, tendo em vista a série de problemas com a qual essa abordagem consegue lidar. Além disso, o tratamento psicológico com esse atendimento costuma ser muito eficaz e ter duração entre 20 e 30 sessões de terapia.

Gestalt-Terapia

As experiências adquiridas em cada momento são o que forma a história de uma pessoa. É com base nisso que a Gestalt-Terapia tenta trabalhar, ajudando o paciente a focar mais naquilo que está acontecendo no presente.

Além disso, esse tipo de atendimento psicológico leva muito em consideração o contexto no qual o indivíduo está inserido. Isso porque o ciclo social pode estar intimamente relacionado com o comportamento.

Não é à toa que essa linha funciona muito com pessoas que enfrentam problemas de ansiedade, esgotamento mental, pânico, entre outros. Ao ajudar a se concentrar mais no aqui e no agora, o psicólogo, além de ouvir o que o paciente tem a dizer, contribui para o desenvolvimento de um melhor controle emocional e para uma experiência mais consciente. Assim, é possível compreender melhor como agir em determinadas situações, mesmo as mais desafiadoras.

Psicologia Analítica

Também conhecida como Junguiana, a Psicologia Analítica é inspirada nas ideias do aluno de Freud, Carl Jung, junto dos conceitos definidos futuramente por seus discípulos. Por esse motivo, essa abordagem terapêutica apresenta muitas características em comum com a Psicanálise, como a busca pelo autoconhecimento, embora apresente as suas particularidades.

O principal objeto de análise no atendimento psicológico junguiano é o sonho. Esse é um espaço no qual o inconsciente se sente mais livre para se expressar e onde é possível identificar diversas informações importantes sobre a personalidade de uma pessoa, a forma que ela pensa, os seus traumas, os medos e as inseguranças.

Desenhos e dinâmicas avaliativas também fazem parte das sessões de terapia da Psicologia Analítica. Por meio dessas atividades, é possível entender melhor o que há por trás da mente do paciente e, assim, trabalhar em busca de soluções para os problemas que o incomodam.

Cognitivo-Construtivista

A terapia Cognitivo-Construtivista, por sua vez, relaciona os aspectos funcionais do sistema nervoso com os efeitos psicológicos. Isso ajuda a entender também como alguns problemas neurológicos podem afetar o comportamento de uma pessoa, ajudando-a a encontrar um tratamento mais produtivo.

O diferencial desse tipo de atendimento psicológico é a atenção dada às emoções. Nas sessões, o psicólogo incentiva o paciente a acessar o que sente com relação aos pontos apresentados na conversa, de modo que possa compreender o estado emocional, em vez de reprimi-lo.

Essa abordagem terapêutica é muito eficiente, principalmente para pessoas que passaram por traumas, para quem deseja desenvolver inteligência emocional e para indivíduos que gostariam de se expressar melhor no dia a dia. Afinal, com a mudança de padrões cognitivos, é possível reestabelecer o bem-estar e a saúde mental.

Analítico-Comportamental

A terapia Analítico-Comportamental utiliza alguns conceitos do Behaviorismo Radical para compreender as bases do comportamento do paciente. O modo como uma pessoa se relaciona com o ambiente em sua volta pode dizer muito sobre o que ela sente, pensa e faz, e é essa a principal análise dessa abordagem.

Como recurso terapêutico, a área Analítico-Comportamental utiliza os reforços positivos. Essa é uma forma de induzir um comportamento, que tanto o paciente quanto o psicólogo identificam como mais adequado, em determinada situação, até que se torne mais automático.

Pessoas que estão lidando com fobias, dependência química, luto, transtornos de aprendizagem, além de problemas de ansiedade e depressão, podem se beneficiar bastante com esse tipo de atendimento psicológico.

Como visto, falar de saúde mental é fundamental em todos os ambientes. É por isso que a Sharecare se relaciona com programas dentro dessa temática, oferecendo atendimento psicológico, de modo a aproveitar ainda mais os benefícios do plano de saúde.

Quer saber mais sobre como a Sharecare pode ajudar no atendimento psicológico? Então, entre em contato conosco e tire as suas dúvidas!

Panorama sobre os custos da obesidade para o sistema de saúde brasileiro