Asma em adultos: do diagnóstico ao tratamento da doença

4 de julho de 2022

A estimativa da Organização Mundial da Saúde é de que mais de 339 milhões de pessoas no mundo tenham asma. Porém, um equívoco bastante comum é associar essa doença apenas à infância, quando na verdade também existem casos de asma em adultos.

A asma é considerada um problema de saúde pública de grande importância. Isso porque, quando não é fornecido o tratamento adequado, pode colocar a vida da pessoa em risco. Sendo assim, é indispensável identificar os sintomas, obter o diagnóstico e tratar adequadamente.

Como esse é um tema que ainda desperta muitas dúvidas, preparamos este artigo para que você possa conhecer um pouco mais sobre a asma, os sintomas que ela desencadeia, os fatores de risco da doença, suas formas de tratamento, entre outras informações. Acompanhe.

O que é asma?

Para alcançar os pulmões, o ar passa por canais chamados de brônquios ou bronquíolos. A asma, também chamada de bronquite asmática ou bronquite alérgica, acontece quando ocorre um estreitamento desses canais. Isso dificulta a passagem do ar e provoca contrações nos brônquios ou broncoespasmos, prejudicando a respiração e causando sensação de sufocamento.

Os brônquios desenvolvem uma inflamação crônica, o que faz com que eles produzam mais muco. A presença de muco nos canais agrava o problema, mas a dificuldade maior na respiração ocorre na hora de expirar. Assim, o ar permanece dentro dos pulmões e a pessoa se sente sufocada.

É importante ressaltar que também são registrados casos de asma em adultos, como explicamos na introdução. Esse problema pode ocorrer em qualquer idade, e não se trata de uma doença infecciosa. De toda forma, as infecções das vias respiratórias provocadas por vírus podem ser uma das causas das crises de asma.

Umas das diferenças da asma em adultos em relação àquela que acomete as crianças, é que na infância geralmente o problema está associado à alergia, enquanto na fase adulta o quadro alérgico é menos frequente.

Quais são os sintomas da asma em adultos?

Os sintomas de asma em adultos podem comprometer de forma significativa a qualidade de vida desses indivíduos. Isso porque causam limitações que interferem nas atividades do dia a dia e abalam a saúde.

As manifestações que costumam acompanhar os quadros de asma são:

  • tosse frequente e prolongada, em especial à noite;
  • chiado no peito;
  • pressão ou aperto no peito;
  • dificuldade para respirar;
  • falta de ar durante esforço físico.

Não são todas as pessoas que manifestam os mesmos sintomas de asma. Eles podem acontecer de uma forma isolada ou combinados. Assim, cada caso tem as suas próprias características.

Quais exames detectam a asma?

Geralmente, a asma é diagnosticada ainda na infância, quando a criança apresenta tosse crônica, por exemplo. Na asma em adultos, os sintomas também contribuem para obter o diagnóstico.

Contudo, as crises de asma costumam desencadear manifestações parecidas com as de outros problemas e doenças. Por isso, é preciso relatar de forma detalhada os incômodos para que o médico, avaliando o conjunto, possa emitir o diagnóstico.

De um modo geral, é possível identificar a asma em adultos considerando os sintomas e o histórico do paciente, por meio dos relatos que ele fez. Mesmo assim, existem exames que contribuem para eliminar qualquer dúvida. É possível confirmar a asma em adultos por meio da espirometria. O exame é feito utilizando o espirômetro, com o objetivo de avaliar o fluxo de ar nos pulmões.

Também pode ser realizado o exame Peak Flow. Nele, o paciente é submetido ao esforço respiratório para alcançar a inspiração máxima possível. Nesse pico, o especialista avalia se há obstrução das vias aéreas e a gravidade dela. Assim, consegue emitir um diagnóstico preciso.

Qual tratamento para asma em adultos?

Para tratar a asma em adultos, costumam ser utilizados dois tipos de medicamentos. Um deles tem como objetivo promover o alívio durante as crises respiratórias; o outro ajuda a fazer a manutenção da saúde, evitando que as crises aconteçam.

A principal via de administração dos medicamentos para asma é inalatória. Ao inalar o medicamento, a ação dele vai acontecer diretamente no local, aumentando a eficiência. Além disso, com esse tipo de aplicação é possível utilizar doses menores.

Também é importante que sejam eliminados os possíveis gatilhos que provocam as crises asmáticas. É o caso de manter os ambientes bem higienizados e eliminar o tabaco, uma vez que o cigarro agrava muito o problema. De toda forma, o tratamento é personalizado para cada paciente de acordo com as características do caso.

Quais são os fatores de risco da doença?

Você viu que durante a infância a asma pode ser provocada principalmente por alergias. Sendo assim, pessoas alérgicas têm um risco aumentado de desenvolver asma, em especial quando mantêm contato com agentes irritantes, como:

  • mofo;
  • ácaros;
  • poeira;
  • poluentes atmosféricos.

A fumaça do cigarro é mais um risco importante para a manifestação da doença. Ser um fumante passivo já se caracteriza como um risco, mas ser a pessoa fumante agrava a situação. A exposição a agentes irritantes durante a vida adulta também pode favorecer a asma.

Como é o dia a dia de quem tem a doença?

A qualidade de vida da pessoa asmática é comprometida principalmente quando o problema não recebe o devido tratamento. Portanto, a asma em adultos, quando devidamente controlada, permite que a pessoa mantenha uma vida normal.

Um aspecto muito importante do dia a dia de quem tem a doença é ter atenção àquilo que pode desencadear as crises. Isso ajuda a evitar o contato com os gatilhos para manter a respiração adequada.

Embora a asma não tenha cura, a correta administração dos medicamentos, inclusive, com o uso da bombinha, mantém muitas vezes as crises controladas. É importante também adotar hábitos que contribuam com a saúde respiratória. São eles:

  • não fumar;
  • manter o peso corporal dentro de limites saudáveis;
  • praticar exercícios físicos regularmente;
  • manter uma alimentação saudável;
  • evitar alimentos que favorecem doenças respiratórias;
  • fortalecer o sistema imunológico.

Como você viu, a asma em adultos é um problema que tem tratamento, e a pessoa pode conviver com a doença sem que ela prejudique a sua qualidade de vida e atividades rotineiras. Entretanto, é indispensável identificar o problema e procurar a ajuda de um médico para evitar que as crises aconteçam.

A asma e outros problemas podem ser mais bem tratados quando identificados antes de trazerem complicações. Entenda a importância de fazer o rastreamento de doenças na atenção primária à saúde.