Como incentivar a doação de sangue na empresa? Confira!

28 de março de 2022

Ato de solidariedade e essencial para salvar milhares de vidas todos os anos, a doação de sangue também foi impactada pela pandemia da Covid-19. De acordo com dados do Ministério da Saúde, de 2020 para cá a diminuição do índice de coleta chegou a 20%.

Embora a fase seja de otimismo devido ao avanço da retomada econômica, a porcentagem de doações de sangue chama a atenção. Mais do que nunca, todos os setores da sociedade devem contribuir para a melhora da situação. Além de órgãos públicos e ONGs, as empresas são fundamentais nesse processo.

Por meio de estratégias adequadas, sua organização também pode marcar presença e, assim, contribuir para fazer a diferença. Como exatamente? Confira alguns pontos importantes na hora de criar uma campanha de doação de sangue na sua empresa!

Dando o bom exemplo

Como todo bom líder, cabe a você dar o exemplo sempre que esperar que os demais colaboradores repitam suas ações. Falar é importante, mas um discurso inspirador só faz sentido se ele for acompanhado dos gestos que ele defende.

Então, mostre que você já participa de campanhas de doação de sangue. Se não for o caso, admita que está com a disposição necessária para começar a mudar isso a partir de já. Registre o momento e o compartilhe com as pessoas da sua equipe ou do seu setor.

Dar o próprio exemplo potencializa ainda mais as belas palavras de um discurso bem-elaborado. De modo geral, muita gente só percebe a seriedade de uma campanha quando ela ganha corpo e vida mediante a realização de ações.

Além de tudo isso, gestores que doam sangue e são admirados por seus colaboradores reforçam ainda mais o incentivo para eles fazerem o mesmo. Soma-se isso o fato de que ajuda a eliminar a ideia de que só os subordinados devem se sacrificar para ajudar outras pessoas.

Apresentando dados relevantes

Outra forma de demonstrar a gravidade da situação e, assim, despertar a comunidade interna para a importância da doação consiste em reunir e exibir dados relevantes.

Como comentamos no início, a pandemia desencadeada pelo novo coronavírus piorou as condições de bancos de sangue distribuídos pelo Brasil. Em grande medida, isso aconteceu devido à necessidade de isolamento social.

Sim, o país é grande e nem se deve tentar abraçar o mundo. Contudo, vale muito a pena coletar dados que ilustram a disponibilidade de bolsas de sangue do estado e município onde a empresa está instalada. Desse modo, fica mais fácil visualizar o momento crítico.

Dados referentes à quantidade de pessoas que necessitam de reposição sanguínea também colaboram para acentuar a importância das doações. Além dos casos que envolvem transplante de órgãos ou cirurgias de emergência, há também quadros graves de Covid-19 que necessitam de transfusão de sangue. O motivo é a redução da concentração de hemácias.

Elaborar uma apresentação completa, embasada em todas essas frentes, causa um impacto praticamente instantâneo em quem ler, ver ou ouvir o que está apresentando. Apenas tome o cuidado de respaldar as informações em fontes de dados realmente confiáveis e que possam ser acessadas posteriormente por todos.

Dialogando sobre o assunto em reuniões internas

Até aqui, falamos a respeito da relevância de respaldar o discurso no exemplo e de exibir dados que falam por si. Ao mesmo tempo, há todo um contexto recente que precisa ser abordado. Afinal, a sociedade teve que se acostumar a tomar uma série de cuidados ao sair de casa, chegar a outros lugares e interagir com pessoas.

Apesar do acúmulo de ansiedade na quarentena, tudo isso, cedo ou tarde, vai passar. De qualquer forma, o cenário precisa ser atualizado justamente para que as pessoas se sintam confortáveis com o procedimento de doar sangue.

Conversar com as equipes sobre variados temas e ações, alinhados aos valores da empresa, também compõe o conjunto de atribuições de um bom gestor. É o que acontece, por exemplo, na hora de abordar como o negócio se preocupa com o bem-estar dos colaboradores. Com relação à doação de sangue, não é diferente.

Existe o Junho Vermelho, que cumpre o propósito de estimular o comparecimento de antigos e novos doadores. Porém, marcar reuniões internas para tratar da questão ao longo do ano é igualmente fundamental. 

Desse modo, entende-se que o problema não é passageiro e que, portanto, deve ser revisitado de tempos em tempos. Do lado dos funcionários, o comprometimento da organização influencia no seu engajamento e participação efetiva das campanhas.

Investindo em materiais de conscientização

Materiais gráficos, posicionados em locais estratégicos das dependências internas da organização, também são bem-vindos. Inclusive, caso ainda não exista, é uma oportunidade de criar um mural dedicado a divulgar campanhas ou medidas importantes adotadas pela empresa.

Além da doação de sangue, o espaço pode ser usado para tratar de boas práticas ligadas à saúde no trabalho. Com organização, é possível reutilizá-lo no decorrer dos meses para destacar os resultados das atividades conduzidas pela marca em prol de seus funcionários.

Outro material de conscientização interessante são os folders. Práticos, objetivos e visuais, eles são muito úteis na hora de resumir o conteúdo com qualidade e ampliar o poder da mensagem. Se houver recursos disponíveis, também é válido investir em conteúdo audiovisual de curta duração.

Fazendo eventos voltados ao assunto

Palestras exercem papel igualmente determinante, sobretudo no que concerne ao repasse de informações esclarecedoras. Isso porque, infelizmente, há quem deixe de doar sangue em razão do receio de se contaminar ou algo parecido.

Dessa maneira, eventos ministrados por profissionais especializados conferem credibilidade ao próprio processo de se doar sangue. Eles têm aval para tranquilizar todos quanto aos métodos que atestam a total segurança do procedimento.

Oferecendo recompensas para quem doar sangue

Segundo o Art. 473 da CLT, doadores de sangue têm direito a um dia de folga sem desconto salarial a cada 12 meses. Contudo, se a ideia é incentivar a doação, nada melhor do que ir além.

Assim como o que já acontece com os benefícios oferecidos aos funcionários, vale a pena usar a criatividade para proporcionar algo a mais. Descontos na compra de ingressos de cinema ou de shows, ou ainda na compra de livros, são apenas algumas opções. Assinaturas de streamings por alguns meses também devem fazer sucesso.

Essas são algumas boas estratégias para encorajar colaboradores a, de fato, tornarem-se doadores de sangue regulares. No entanto, sua empresa pode fazer muito mais. Realçar a relevância de doar brinquedos ou agasalhos é um ótimo exemplo.

Simultaneamente ao apoio dado à doação de sangue, a atenção da organização dada a outros temas, como a síndrome de burnout, é essencial para construir um mundo melhor. O mesmo se aplica a outros assuntos relacionados à saúde de seus funcionários, como a própria saúde mental.

Por falar nisso, confira como abordar a campanha Setembro Amarelo na sua empresa!

Panorama sobre os custos da obesidade para o sistema de saúde brasileiro