5 motivos para garantir a integração de dados na saúde pública

9 de março de 2022

A integração de dados, de modo geral, já é um excelente recurso para a otimização de serviços. Empresas do mundo inteiro a utilizam para ampliar resultados, oferecendo o melhor a seus clientes. Na área da saúde, isso é ainda mais importante, principalmente considerando a realidade do setor público.

Uma boa gestão de dados é essencial para acompanhar as demandas da população, além de facilitar a interação entre as unidades de atendimento. Assim, ela está intensamente ligada ao bem-estar e à eficácia do cuidado. Confira a seguir 5 maneiras de ter um sistema integrado ajudando nesse contexto!

1. Melhor acesso aos dados e informações

A integração reúne dados de fontes distintas em uma mesma plataforma. Assim, se o paciente já fez cadastro em uma unidade, mas precisou ir a outra, suas informações podem ser encontradas rapidamente pelo sistema, por exemplo. Os médicos têm acesso fácil e ágil ao prontuário, conferindo histórico e detalhes essenciais de cada indivíduo. 

Isso já contribui muito para a fluidez do atendimento, mas ainda é importante escutar e validar o paciente. O objetivo é promover o seu bem-estar de modo mais eficiente e completo, utilizando a tecnologia para vencer barreiras e, assim, focando com maior tranquilidade na humanização

A integração não se limita, porém, a dados individuais. Informações sobre hospitais, clínicas e centros de saúde também ficam registradas, podendo ser acessadas por todos os usuários permitidos.

Dessa maneira, é possível saber da quantidade de insumos em um posto médico ou dos horários disponíveis em outra unidade, criando uma rede ágil de comunicação e colaboração.

2. Redução de falhas na comunicação 

Um sistema integrado automatiza vários processos da rotina, tornando-os mais simples e melhorando a fluidez do trabalho. O cadastro de um paciente só é realizado uma vez, sendo encontrado sempre que ele busca um novo serviço. É necessário apenas mantê-lo atualizado, com as novas informações, tratamentos e observações médicas. 

Há uma quantidade imensa de atendimentos realizados por dia. Hospitais, farmácias públicas, laboratórios e unidades estão em constante movimento, alterando a toda hora os registros de caixa, de insumos e de demandas no geral. As chances de erros e falhas na comunicação são imensas se o registro for feito manualmente ou com sistemas diferentes.

Se tudo está no mesmo lugar, com a mesma interface e a mesma linguagem, a percepção da realidade se torna muito mais clara. Assim, o setor público tem provas mais consistentes de seus serviços e pode realizar melhores análises.

3. Redução e controle de custos

Se tudo é registrado da mesma forma, em um único sistema, os custos também se tornam mais claros. Percebe-se, com maior precisão, os pontos que mais demandam investimento e a gestão financeira é facilitada. A partir daí, é possível planejar-se para atender as áreas e os grupos da população que demandam maior auxílio.

Por outro lado, a própria redução de falhas que comentamos já contribui para a redução de gastos. Os erros cometidos quando os dados não são bem organizados podem ter forte impacto para as finanças, levando a custos com o retrabalho e desviando a atenção de questões importantes.

Vale lembrar, ainda, que o sistema também contempla os dados de estoques. Assim, pode-se realizar uma gestão mais efetiva, acompanhando medicamentos, equipamentos e outros recursos disponíveis em cada local. Essa percepção, aliada a um melhor controle de gastos, permite tomar as providências necessárias para manter o abastecimento e garantir o cuidado. 

4. Melhoria na tomada de decisão 

O sistema integra informações de diversos âmbitos, desde o financeiro até os casos atendidos em cada unidade específica. Assim, fica mais fácil cruzar os dados, fazer análises de qualidade e, portanto, tomar decisões mais acertadas. Com os registros dos centros de uma mesma região, por exemplo, é possível identificar os problemas de saúde mais recorrentes.

É importante cruzar tais informações com pesquisas, verificando grupos que buscam ou não auxílio e como levar o cuidado a todos. Existem sistemas que contam com ferramentas de inteligência, com as quais é possível mapear riscos e estudar características populacionais. Assim, o setor pode criar estratégias de prevenção e pensar em campanhas eficientes.

É fundamental saber o que o sistema oferece antes de optar por ele. As opções desse serviço estão crescendo no mercado e, portanto, é preciso estudar bem suas alternativas. Escolha o que melhor atende às suas necessidades e ajuda a promover o melhor para a sociedade, lembrando também de analisar os fornecedores.

5. Orientação para inovação e tecnologia

A tecnologia em saúde vem crescendo cada vez mais, transformando desde a gestão até os procedimentos de tratamento. A telemedicina, por exemplo, facilita a vida dos pacientes com recursos como consultas e a receita médica digital, além de tornar os serviços mais acessíveis para quem tem dificuldades ou vive em regiões com menos médicos. 

A integração de dados é parte dessa inovação, sendo fundamental para que a tecnologia exerça o melhor trabalho possível. Os dados são base importante para um serviço eficiente e para a verdadeira promoção da saúde, merecendo atenção quando se trata de modernizar e avançar em recursos.

A tecnologia é uma forte aliada para qualquer processo de cuidado, colaborando desde a prevenção até a recuperação de um paciente. É interessante considerá-la inclusive ao repensar estratégias e demandas, como doenças não acompanhadas no SUS.

A integração de dados, como foi visto, é um passo fundamental para o cuidado da saúde pública. Por tratar-se relativamente de uma novidade, porém, pode haver desafios durante sua adoção. A migração para um sistema integrado deve contar com o apoio do seu fornecedor, que deve prestar assistência e caminhar pelos mesmos objetivos

Esperamos ter ajudado você a compreender a importância da integração de dados. Para encerrar, vale lembrar que a Sharecare está à disposição para auxiliar no setor, com soluções voltadas para a melhor gestão da saúde de forma integral, seja qual for o nível de risco.

O que você achou do conteúdo? Já havia pensado na importância da integração? Para obter mais informações, tirar dúvidas ou conhecer nossos serviços, não deixe de entrar em contato!

Panorama sobre os custos da obesidade para o sistema de saúde brasileiro