Como apoiar alguém que está com a COVID-19

7 de maio de 2020

Uma das maiores dificuldades que a pandemia trouxe consigo foi a quantidade de incógnitas que estamos lidando. Desde os sintomas exatos para identificar a infecção até a disponibilidade de profissionais de saúde e equipamento hospitalares, essas incertezas constantes podem realmente ser desanimadoras. E esse cenário não é nem um pouco diferente quando a questão é como apoiar emocionalmente alguém com COVID-19. De amigos a parentes próximos, queremos ter a certeza de que estamos fazendo todo o possível para ajudar aqueles diagnosticados com a doença, mas por onde começar?

Para ajudar a responder essa pergunta, o Dr. Mehmet Oz conversou com Anita Chlipala, terapeuta licenciada que concentra seus esforços apoiando relacionamentos familiares. Nestas linhas, ela detalha como as pessoas podem amparar emocionalmente seus entes queridos contaminados com o coronavírus.

Se alguém com quem você mora tem COVID-19

Se compartilha sua moradia com um familiar diagnosticado com a doença, mantenha-se positivo e concentrado nas coisas que podem ser controladas, como as refeições que está cozinhando, por exemplo.

Pode ser complicado fazer com que alguém se sinta amado e incluído quando precisa permanecer isolado em outro cômodo ou parte da casa. Por isso, tente elevar o ânimo preparando os pratos favoritos da pessoa infectada (e deixando-os na porta) ou tocando sua música predileta. Compartilhar essas pequenas coisas pode fazer com que o parente isolado se sinta parte de algo maior e socialmente aceito. Também deve servir como um bom lembrete de que as coisas não serão assim para sempre.

Se um amigo ou parente distante possui COVID-19

Primeiro, deixe que eles saibam que você está disponível, mesmo que não esteja lá pessoalmente. “Diga que está ansioso para conversar”, afirma Chlipala. “Você também pode dar a eles algo pelo que esperar, agendando um encontro amistoso depois que a quarentena terminar, por exemplo.

Tente também pensar em suas coisas favoritas e ofereça-as como distrações quando puder. Não deixe que seu medo de ser um incômodo te impeça de se comunicar com frequência, seja por chamadas telefônicas ou mensagens de texto. O importante é deixar claro para a pessoa em recuperação, que você está pensando nela. “Muitos enfermos têm uma variedade de sintomas severos. Portanto, pode haver dias em que ao enviar uma mensagem ou ligar, a pessoa não responda por estar se sentindo muito doente”, diz Chlipala. Neste caso, busque combinar previamente uma agenda de ligações e veja o que funciona melhor para ela.

Chlipala sugere ainda entrar em contato com outros amigos do grupo e considerar uma programação em que cada um possa assumir uma atividade a fim de diminuir o fardo de quem está cuidando do doente.

“Se a pessoa com a COVID-19 tiver familiares por perto, veja com eles como pode ser útil”, diz Chlipala. Você pode se oferecer para buscar algum medicamento na farmácia, comprar mantimentos e até cuidar do entretenimento da casa deixando livros, revistas e quebra-cabeças na porta. Esses itens parecem superficiais, mas realmente ajudam a passar o tempo no isolamento.

Devo também me preocupar com quem está cuidando do doente?

É essencial que os cuidadores também tenham tempo para si mesmos, pois a única maneira pela qual eles realmente poderão ajudar alguém é estando bem. Por isso, se for possível, se ofereça para dividir as tarefas. Você pode, por exemplo, aprender sobre como lavar as roupas da pessoa doente de maneira segura ou cuidar de seu animal de estimação durante o período de recuperação.

“É normal que o cuidador queira sempre estar disponível caso precisem dele”, diz Chlipala. Mas oferecer algum tempo livre para que ele possa cuidar de si, pode ajudá-lo inclusive, a acompanhar melhor da pessoa enferma.”

Revisado clinicamente em Abril de 2020.

Fontes:

Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). “Precauções recomendadas para membros da família, parceiros íntimos e prestadores de cuidados em um ambiente não-médico. “

Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). “Se você está doente ou cuidando de alguém.”[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]