5 maneiras de lidar com a perda de sua vida pré-pandêmica

By 12 de maio de 2020Covid 19

Se você está triste ultimamente, saiba que não é o único. Muitas pessoas estão sentindo falta de sua rotina anterior ao surto. Mas não há motivo para desespero. Aprenda aqui como encontrar esperança em meio à crise de saúde causada pelo coronavírus.

Sabemos que nem todos reagem da mesma forma perante uma situação difícil. E isso não é diferente em tempos de isolamento social, consequência da rápida disseminação da COVID-19 pelo Brasil e o mundo. Enquanto alguns experimentam reações emocionais pouco intensas, outros estão passando por um verdadeiro turbilhão de sentimentos conflitantes. Pode haver raiva interrompida por momentos de esperança. Insônia, ansiedade e medo durante um dia, e uma sensação de apreço pela família e gratidão por estar bem no outro. E misturado com tudo isso, um avassalador pesar.

Há uma tristeza profunda, é claro, pelas vidas que se foram com a pandemia. Mas você também pode estar passando por um período de luto pelo dia-a-dia que tinha há alguns meses. É possível que se lembre com frequência de como casualmente tomava um café com seus amigos ou levava seus filhos aos jogos de futebol e se pergunta se voltará a experimentar esses simples prazeres novamente. Você também pode sentir uma perda se tiver que cancelar ou adiar planos emocionantes, como uma formatura, casamento, aniversário ou férias.

Mesmo que sua família tenha sido poupada dos piores efeitos físicos e econômicos da pandemia, é perfeitamente normal sentir esse tipo de tristeza, diz Bethany Teachman, PhD, psicóloga e professora de psicologia na Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos. “As perdas que cada um de nós experimenta são reais e significativas”, diz ela. “Isso não quer dizer que falte compaixão por aqueles que estão vivenciando circunstâncias mais desafiadoras. Apenas que está tudo bem ficar um pouco triste com os danos que o vírus causou em sua vida ou na de seus familiares próximos e lamentar por isso”.

Ao mesmo tempo, é importante não deixar que a dor te domine completamente. Isso não só pode atrapalhar seu avanço, mas também prejudicar sua saúde. O luto causa exaustão e dificulta a concentração, explica ela.

Como lidar com o sentimento de perda

Se você está lutando com a tristeza e lamentando sua vida pré-pandêmica, não negue ou enterre essas emoções, aconselha Teachman.

A COVID-19 já foi responsável por centenas de milhares de mortes e perda de milhões de empregos. Esse cenário é, com certeza, muito duro, mas não há necessidade de se culpar por estar chateado por coisas menores, como o adiamento dos jogos escolares de seu filho, por exemplo. “Você não deve se julgar por ter esses sentimentos. Eles são muito naturais”, explica Bethany. “Isso só torna mais difícil gerenciar sua dor. Ao se julgar, não apenas estará lidando com a tristeza de sua perda, mas também adicionará raiva de si mesmo, o que pode fazer com que o clima negativo persista ainda mais”, ressalta Teachman.

Para passar com mais tranquilidade por este período de incertezas e dor, aqui vão outras estratégias que te ajudarão a lidar com a tristeza ou com sensações de perda:

  • Dê tempo ao luto, mas depois siga em frente

Após alguns dias de desânimo, quebre o ciclo de luto. Você pode fazer isso agendando um horário diário para atividades mais positivas e fazendo pausas para o autocuidado. Isso inclui ouvir sua música favorita, praticar exercícios de meditação e respiração profunda, ligar para um ente querido e conversar, assar um bolo ou até mesmo, porque não, planejar o futuro. “Pense em como você pode continuar definindo metas para as coisas que deseja fazer e depois divida-as em etapas concretas e gerenciáveis”, diz ela

  • Crie substitutos para os eventos que participaria

Se você pensar que todas essas celebrações e férias foram adiadas e não canceladas, isso pode ajudar a amenizar o golpe. Teachman também recomenda reunir a família e criar eventos substitutos, que possam acontecer em casa.

Um exemplo disso vem da própria psicóloga que teve que cancelar uma viagem muito esperada à Disney. A fim de reprimir o desapontamento de seus filhos, ela estabeleceu um horário para as crianças inventarem jogos com o tema Disney e colocarem em prática essas brincadeiras com seus pais e avós. “A viagem será remarcada, mas ninguém mais está triste por ela não ter acontecido”, afirma Bethany.

  • Encontre gratidão.

Luto e gratidão podem andar de mãos dadas, ensina Teachman. Assim, mesmo enquanto você está sofrendo com as coisas que perdeu, tente agradecer por tudo aquilo que ainda tem. Algumas pesquisas sugerem que, na verdade, listar coisas pelas quais é grato, está relacionado a ter mais otimismo e humor na vida.

Outra ótima estratégia, especialmente durante esse período desafiador, é expressar sua gratidão pelos outros. Isso inclui deixar biscoitos caseiros para o porteiro, auxiliar um vizinho em necessidade, bater palmas na janela para os profissionais de saúde todas as noites ou entregar doações a instituições de caridade. Consulte na sua cidade organizações sem fins lucrativos que estejam fornecendo máscaras e alimentos a moradores de rua, por exemplo. Uma revisão de mais de 27 estudos, publicada no periódico acadêmico Journal of Experimental Social Psychology, apontou que realizar atos altruístas como esses também pode ajudar as pessoas a se sentirem melhor consigo mesmas.

  • Dê risada

Um dos melhores antídotos para o luto é o riso. A renomada autora e psicoterapeuta Esther Perel disse que quando você está triste, rir te faz enxergar as coisas sob uma nova perspectiva. Então, se estiver desanimado, em vez de assistir às notícias, passe algum tempo procurando vídeos engraçados pela internet. O riso pode ter um efeito curativo e aumentar o seu bem-estar mental.

  • Obtenha ajuda se precisar

Se sua tristeza prevalecer apesar dos seus melhores esforços, não há problema em pedir ajuda. “Encorajo todos a monitorar seu humor nesse momento e a reconhecer que haverá altos e baixos, que às vezes sentirão momentos de dor e tristeza”, aconselha Teachman. “Mas se o sofrimento é persistente, generalizado e prejudicial, o ideal é procurar auxílio”.

Muitos terapeutas e clínicas estão oferecendo seus serviços por videoconferência durante a quarentena. Ligue para o seu médico ou companhia de seguros para obter referências. Você também pode entrar em contato com o Centro de Valorização à Vida no número 188.  

Revisado clinicamente em Maio de 2020.

Fontes:

Universidade Johns Hopkins. “Painel COVID-19 do Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas (CSSE).”

Organização das Nações Unidas (ONU). “COVID-19: o impacto pode causar o equivalente a 195 milhões de empregos perdidos.”

Harvard Medical School. “Agradecer pode fazer você mais feliz.”

OS Currya, LA Rowland, CJ Van Lissa. Jornal de Psicologia Social Experimental. Volume 76. Maio de 2018. Páginas 320-329. “Feliz por ajudar? Uma revisão sistemática e metanálise dos efeitos da realização de atos de bondade no bem-estar do ator.”

Esther Perel. The New York Times. 22 de abril de 2020. “Estamos todos de luto. É assim que passamos por isso.”

Aliança Nacional de Doenças Mentais dos Estados Unidos (NAMI). “Existem recursos online para grupos de terapia / apoio ou aplicativos de saúde mental?”