Como obter vitamina D através dos alimentos.

By 25 de maio de 2020Covid 19

É fácil obter vitamina D através da luz solar, mas durante o isolamento social existem outras opções a serem consideradas.

Desde o início da pandemia, muitas pessoas aproveitaram o período de isolamento para se alimentar de maneira mais saudável. Elas deixaram as comidas industrializadas e congelados de lado para começar a cozinhar em suas próprias casas. Essa atitude tem se provado muito benéfica para o bem-estar, tanto físico quanto mental, mas será que também está proporcionando a dose diária dos nutrientes de que precisam? E o que dizer da vitamina D? Devido a quarentena, a exposição ao sol ficou muito menos frequente. Com isso, será que é possível obter esse grupo tão preciso de compostos através de outras fontes?

Recentemente, com a busca incessante por formas de combater a COVID-19, pesquisadores abriram um debate sobre o papel da vitamina D no corpo e seus efeitos na imunidade e prevenção do vírus. Embora a pesquisa tenha sido inconclusiva, muitos se perguntam se precisariam aumentar sua ingestão do composto, já que a maioria está dentro de casa.

As evidências científicas disponíveis até o momento não justificam a suplementação de vitamina D para a população em geral com o intuito de proteger alguém do Sars-CoV-2, no entanto, manter quantidades adequadas do nutriente no corpo é importante para outras finalidades.

O Dr. David Katz, diretor fundador do Yale Griffin Prevention Research Center da Universidade de Yale e presidente da organização sem fins lucrativos True Health Initiative, esteve com o Dr. Mehmet Oz e falou um pouco sobre o porque e como todos podem fazer para cuidar de sua ingestão de vitamina D.

Segundo o Dr. Katz, existem receptores de vitamina D nos glóbulos brancos, portanto, é plausível que níveis apropriados do grupo de compostos possam otimizar a resposta imune do corpo. O médico faz referência a pesquisa de 2012 publicada no periódico científico Journal of Pharmacology & Pharmacotherapeutics. Os autores apontaram que o uso da substância demonstra vantagens contra infecções respiratórias. Mas somente entre indivíduos com níveis realmente baixos do nutriente. “Acho que a suplementação de rotina com vitamina D faz sentido, mas somente no contexto de contribuir para manter o corpo funcionando da melhor maneira possível”, diz o Dr. Katz.

Como saber se tenho deficiência de vitamina D

Se está preocupado com uma possível carência do composto, os sinais mais comuns de escassez do nutriente são:

· Ficar doente frequentemente;
· Sentir-se cansado constantemente;
· Experimentar dores nos ossos e nas costas;
· Perda de cabelo;
· Dores musculares.

Se você acha que pode ter deficiência de vitamina D, entre em contato com seu médico. Ele provavelmente recomendará um exame de sangue para testar os níveis.
Ainda assim, se não for possível sair para realizar a coleta ou dar andamento na análise imediatamente, considere fazer pequenas alterações na sua dieta para aumentar a ingestão do composto. Aqui estão alguns alimentos que ajudarão:

· Salmão;
· Cavalinha;
· Atum;
· Sardinha;
· Leite;
· Suco de laranja;
· Gemas de ovo;
· Cogumelos.

Mudanças positivas no estilo de vida e uma dieta equilibrada sempre são uma boa ideia. Independentemente das pesquisas que relacionam a vitamina D à prevenção do coronavírus, se alimentar bem para fortalecer o organismo e manter a mente saudável é fundamental, especialmente nesse período.

Revisado clinicamente em Maio de 2020.

Fontes:
Healthline.com. “7 alimentos saudáveis que são ricos em vitamina D.”
Medical News Today. “As pessoas devem tomar vitamina D para afastar o novo coronavírus? ”
Ncbi.nlm.nih.gov. J Pharmacol Pharmacother. Outubro – Dezembro de 2012. “Vitamina D para prevenção de infecções do trato respiratório: revisão sistemática e metanálise.”
Healthline.com. “8 sinais e sintomas de deficiência de vitamina D. “