É seguro comer fora? Aqui está o que você precisa saber

By 18 de setembro de 2020Covid 19

Está receoso ou com medo de ir ao seu restaurante favorito?  Siga estas dicas e decida de uma vez por todas se sair e aproveitar uma refeição fora de casa vale a pena o risco.

Cansado de cozinhar todos os dias ou pedir o mesmo delivery dos últimos 6 meses? À medida que as restrições aos negócios diminuem em todo o país, você pode sentir vontade de ir a um de seus restaurantes prediletos. Mas antes de correr para a porta, lembre-se de que a reabertura não significa que o SARS-CoV-2, o vírus que causa a COVID-19, tenha desaparecido ou que seja menos perigoso do que era no início deste ano.

Embora os governos locais estejam gradualmente reabrindo, recomendações para distanciamento social, uso de máscaras faciais em público e outras providências preventivas ainda estão em vigor. Portanto, quanto mais você interage com pessoas de fora de sua “bolha”, ou seja, daquelas com quem vive, e quanto mais tempo durar essa interação, maior o risco de contrair o vírus ou de espalhar a infecção para outros.

Em primeiro lugar, avalie o seu risco.

É importante ponderar se você deve ou não sair. Para isso separamos alguns fatores a serem considerados:

  • Sua idade: Pessoas mais velhas correm maior risco de desenvolver complicações relacionadas a COVID-19;
  • Sua saúde geral: Para indivíduos com alguma condição clínica crônica, como doença pulmonar, diabetes, cardiopatias, entre outros, a COVID-19 pode ser particularmente perigosa;
  • Sua comunidade: Qual a extensão da doença no lugar onde mora? Os casos estão aumentando ou diminuindo?

As diretrizes locais variam, portanto, em muitos lugares, as refeições em ambientes fechados não são uma opção. Mas lembre-se que o aumento no número de casos em uma região pode levar as autoridades a reintroduzir regras mais rígidas ou até mesmo retirar a opção de consumo nos estabelecimentos.

Se você pretende se aventurar, seguir estas dicas pode te ajudar a ter uma experiência mais segura.

Faça sua lição de casa

Antes de comer alguma coisa, vale a pena pesquisar um pouco. Devido a quantidade restrita de assentos, alguns restaurantes têm optado por abrir suas portas somente por meio de reserva. Por isso, verifique no site do estabelecimento ou nos feeds das mídias sociais qual o sistema de consumo adotado, o horário de funcionamento, as regras de assento e demais práticas de segurança.

Se você não encontrar nada online, ligue para o restaurante com algumas perguntas simples, como: Que mudanças foram feitas nos protocolos de limpeza e desinfecção? Há mesas ao ar livre disponíveis? A que distância as mesas estão umas das outras? Os membros da equipe estão usando coberturas para o rosto e tomando medidas para garantir uma boa higiene?

Outra dica é se preparar levando um frasco de álcool em gel 70% para as mãos ou alguns pacotes de lenços umedecidos desinfetantes. E, claro, não se esqueça da máscara e de uma troca, caso sua intenção seja estender um pouco mais sua visita.

Faça verificações pontuais.

Simplesmente caminhe até a porta do estabelecimento e observe. A forma como será recebido diz muito sobre se os proprietários estão levando a sério a sua saúde e a de seus funcionários.

Em muitos estados, a responsabilidade de conferir o uso da máscara, aferir a temperatura e se certificar que a pessoa que entrará no local está em boas condições de saúde recai sobre o restaurante. Portanto, não se surpreenda se você for solicitado a responder algumas perguntas relacionadas a sintomas de COVID-19, ou se aferirem sua temperatura para ver se está com febre. Pode ser até que questionem se já foi exposto a alguém com coronavírus nos 14 dias anteriores.

Se houver uma multidão na porta da frente ou na área de espera quando chegar, informe seu nome ao anfitrião, aguarde do lado de fora e mantenha a distância social adequada dos demais.

Depois de entrar, observe se as mesas estão afastadas e se os membros da equipe estão usando equipamento de proteção. Todos os funcionários devem estar com máscaras. Também pergunte quais outras medidas foram implementadas para minimizar o risco de transmissão.

Olhe em volta e veja se outros clientes também estão utilizando a proteção facial.  Mesmo que não seja obrigatório em alguns ambientes, você com certeza ficará mais protegido se o proprietário exigir o uso da máscara durante idas e vindas ao banheiro, transito no balcão ou ao entrar e sair do estabelecimento. Ele deve permitir a retirada apenas no momento de comer.

Opte por sentar ao ar livre

Quando se trata de sentar, peça para ficar ao ar livre. Há muitos dados que mostram que o risco de transmissão em ambientes externos é um pouco menor do que em ambientes internos.

Isso se baseia no fluxo de ar. O SARS-CoV-2 tende a pairar em uma nuvem de cerca de um metro de raio ao redor da cabeça e da parte superior do corpo das pessoas. Contudo, essa nuvem é dissipada pelo fluxo de ar em ambientes externos.

Mas tome cuidado se você entrar em um local, mesmo ao ar livre, e encontrar as mesas próximas umas das outras ou o espaço for muito apertado para transitar entre elas. Se este for o caso, considere ir a outro lugar.

Muitas cidades ampliaram calçadas para dar aos restaurantes mais espaço para montar suas mesas e permitir o distanciamento social. Mas há muito menos flexibilidade em ambientes internos. Proteções de plexiglass acrílico como aqueles que vemos em alguns supermercados ou outros pontos de venda não funcionam tão bem se utilizados sozinhos, então se mantenha firme em só visitar locais em que as mesas do salão estejam bem separadas.

Limite pontos de contato

Para ajudar a reduzir o risco de propagação do SARS-CoV-2, evite ir a restaurantes que façam uso de estações de autoatendimento como bufês, balcões e estabelecimentos com máquinas de refrigerante externas. Ao chegar à mesa, certifique-se de que a mesma foi higienizada adequadamente e que os talheres venham acondicionados em embalagens individuais.

Toalhas de mesa e guardanapos são seguros, desde que sejam trocados entre os clientes. O processo de saneamento típico usado para pratos e utensílios é adequado para matar o coronavírus, assim como a lavagem da rouparia do estabelecimento.

Para limitar as superfícies tocadas por outras pessoas, peça recipientes ou pacotes de condimento de uso único. Evite manusear cardápios reutilizáveis, a menos que sejam desinfetados entre os usos. As melhores práticas são a exposição do menu em impressões de uso único, QR Code ou quadros-negros afixados na parede.

Lave as mãos

Antes de sua comida chegar, vá ao banheiro e esfregue suas mãos por pelo menos 40 segundos com água e sabão. Se a fila para o lavabo for muito longa ou não houver um estoque adequado de sabonete, use álcool em gel 70%.

Você também pode verificar na parede um cronograma de manutenção do banheiro para ter uma ideia da frequência de limpeza e desinfecção.

Hoje em dia, muitos estabelecimentos estão optando por utilizar sistemas de torneiras e dispensadores de sabonete e papel sem toque. Definitivamente, você verá menos secadores de mãos. Isso porque há estudos que mostram que os jatos de ar promovem a aerossolização das partículas virais. Por isso, saiba que as toalhas de papel descartáveis voltaram com tudo. Aproveite essa onda e pegue uma folha a mais. Utilize-a como uma barreira entre sua mão e a maçaneta da porta ao sair do lavabo.

Quando sua comida chegar

As pessoas espalham mais partículas que podem transmitir o vírus da COVID-19 ao falar do que ao comer e beber. Portanto, use sua máscara até que sua refeição chegue. Quando isso acontecer, guarde-a em um lugar limpo e evite colocá-la sobre a mesa, em uma cadeira ou outras superfícies comuns.

Faça uma fuga limpa

Aprecie sua refeição, mas não demore. Quanto mais tempo você ficar perto de pessoas fora de sua bolha, maiores serão as chances de transmissão do SARS-CoV-2. Quando chegar a hora de pagar a conta, pergunte sobre as opções de pagamento sem contato. Se o estabelecimento não contar com esse serviço, coloque o dinheiro ou o cartão em uma bandeja. Se utilizar cheque, leve sua própria caneta.

Coloque a máscara antes de sair do restaurante e higienize as mãos ao entrar no carro. Quando estiver em casa, ponha para lavar as roupas que utilizou, desinfete novamente as mãos e limpe os objetos que levou consigo como celular, chaves e outros itens.

Jantar fora é um luxo que muitos de nós não experimentamos há algum tempo. Mas caso não se sinta seguro para sair e aproveitar uma refeição fora, não há problemas em aguardar mais um pouco. O importante neste momento, mais que aproveitar a todo custo a abertura gradual, é se manter seguro.

Revisado clinicamente em Setembro de 2020.

Fontes:

Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). 25 de Junho de 2020. “Coronavirus (COVID-19): Pessoas que estão em maior risco de contrair a versão grave da doença.”

Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). 30 de Julho de 2020. “Coronavirus (COVID-19): Atividades Pessoais e Sociais: Jantar em um restaurante.”

Pete Wells. The New York Times. 15 de maio de 2020. “É seguro sair para comer?”

Thomas A. Russo. CNN Travel. 8 de junho de 2020. “Como diminuir o risco de coronavírus ao comer fora: conselho de um especialista em doenças infecciosas.”

Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA). 21 de Abril de 2020. “Melhores práticas para lojas de varejo de alimentos, restaurantes e serviços de coleta / entrega de alimentos durante a pandemia de COVID-19.”

Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). 06 de Setembro de 2020. “Coronavirus (COVID-19): Considerações para restaurantes e bares.”

Tom Bartlett. Wired.com. 03 e Junho de 2020. “Lave as mãos, mas cuidado com o secador elétrico.”

Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA). 01 de Abril de 20