É seguro usar um banheiro público? Essa e outras perguntas relacionadas a COVID-19 respondidas para você.

By 15 de junho de 2020Covid 19

Com a reabertura acontecendo em diversas partes do mundo, incluindo o Brasil, novas perguntas relacionadas ao coronavírus estão surgindo. Veja aqui algumas delas.

O Brasil está reabrindo, aos poucos, o comércio como forma de reativar a economia. Contudo, enquanto cidades e municípios começam o afrouxamento das restrições impostas desde março, muitas pessoas se perguntam: será que é realmente seguro sair de casa agora? Depois de ficar em isolamento por 12 semanas ou mais, é compreensível a hesitação. Por isso, o Dr. Mehmet Oz conversou com o diretor do Centro de Políticas de Saúde da Universidade de Duke, Dr. Mark McClellan, para discutir quais atividades comuns são de alto ou baixo risco e como você pode tomar as precauções necessárias nesse momento de grandes incertezas.

É seguro utilizar banheiros públicos?

Pesquisas realizadas em Wuhan, na China, averiguaram a questão. Os estudos promovidos na região tinham como objetivo identificar se partículas transportadas pelo ar nos hospitais continham traços de COVID-19. Suas descobertas não mostraram fragmentos virais nas UTIs (provavelmente porque são bem ventiladas), mas em banheiros sim.

“Existem diferentes tipos de riscos associados a este ambiente”, diz o Dr. McClellan. Se um banheiro tiver um bom fluxo de ar e for bastante limpo, o risco de partículas de COVID-19 no ar é baixo. Alguns estabelecimentos sãos mais seguros porque contam com um melhor sistema de ventilação, limpam profundamente e com frequência o espaço e limitam a quantidade de pessoas no perímetro (e, portanto, no banheiro) em um determinado período de tempo. Já sanitários públicos localizados em lugares com tráfego intenso de pessoas apresentam maior risco.

Embora evitar banheiros públicos, como uma precaução extra, seja uma atitude sensata neste momento, se precisar usar um, tome as devidas medidas para se proteger:

  • Utilize uma cobertura para o rosto, pode ser uma máscara caseira ou hospitalar;
  • Lave bem as mãos;
  • Não toque em áreas comuns (use uma toalha de papel para abrir portas, manusear torneiras e demais objetos);
  • Finalize o processo passando álcool em gel.

Posso fazer as unhas ou cortar o cabelo?

“Salões de beleza e barbearias envolvem uma proximidade muito grande entre você e o profissional que executará o serviço por uma quantidade significativa de tempo”, diz o Dr. McClellan. “Por isso é preciso estar atento às medidas de segurança do estabelecimento. ”

O que isto significa? Todos os clientes e funcionários devem utilizar máscaras. As estações de trabalho precisam ser limpas e desinfetadas após cada cliente, e qualquer pessoa que esteja entrando no local deve ser monitorada quanto a sintomas. “A verificação de febre apenas não basta”, aconselha o Dr. McClellan, “é necessária uma investigação completa. Mesmo que leves, ocorrências como tosse seca ou dores e desconfortos na garganta, cabeça ou outros locais podem ser uma indicação da COVID-19.”

Para garantir sua segurança, ligue primeiro para o estabelecimento que deseja visitar e questione sobre os procedimentos que estão sendo implementados. Se não estiver confortável, não marque um horário. Só porque a retomada começou, e no caso desse setor em específico começará em um futuro próximo, não significa que precisa sair se não estiver pronto.

E comer em um restaurante?

Como você já deve ter ouvido falar, quando os restaurantes reabrirem, sua capacidade será limitada, entre outras medidas de proteção.

“A versão mais segura da reabertura desse tipo de estabelecimento é ter mesas espaçadas. Os garçons devem realizar o atendimento e trazer a comida utilizando máscara e higienizando constantemente as mãos”, diz o Dr. McClellan.

O doutor também indica que itens de uso único substituam objetos de toque comum, como cardápios, saleiros e garrafas de ketchup, por exemplo. Todas essas ações garantem menos contato entre os clientes.

Quando os restaurantes voltarem a abrir para o consumo no local, entre em contato e converse sobre os critérios de proteção adotados. Contudo, se não se sentir à vontade em sair, ainda será possível continuar apoiando as empresas solicitando comida para viagem ou cozinhar suas próprias refeições.

Como me proteger em eventos ou serviços religiosos?

Festas, concertos, cultos na igreja e qualquer outro lugar que aproxime muitas pessoas sob o mesmo teto é o que os especialistas chamam de ambiente “super espalhador”.

Um evento lotado facilita a propagação do vírus. Por isso o Dr. McClellan recomenda evitar esses tipos de celebrações.

Apesar de festejos de maior porte como estes ainda estarem proibidos e não haver uma data fixada para a reabertura, o governo trabalha na criação de protocolos adequados para a liberação, como restringir o número de pessoas por metro quadrado, por exemplo.

Posso ir ao médico ou dentista?

Mesmo antes da reabertura é preciso saber que não há problemas em se consultar, especialmente se não estiver bem.  Muitos consultórios adotaram alternativas virtuais de atendimento e, em breve, também reabrirão suas portas com diretrizes estritas e procedimentos rígidos de saneamento.

Se precisar ir ao médico ou dentista, ligue para marcar uma consulta e pergunte se há algo que precise saber antes de chegar e se o encontro presencial é o mais indicado para sua condição. Caso se trate de uma urgência ou emergência médica, chame o 192 imediatamente para obter assistência.

Com a reabertura, é melhor optar por atividades internas ou espaços abertos?

“Ambientes amplos e abertos são mais seguros”, diz o Dr. McClellan. “É mais fácil manter o distanciamento nessas condições e a constante circulação de ar fresco ajudará a te manter longe de gotículas que possam espalhar a COVID-19”. Mesmo assim, não se deve descartar as demais medidas de segurança como o uso de álcool em gel 70%, a cobertura do rosto por máscaras, lavar as mãos com água e sabão por pelo menos 40 segundos, entre outros.

Reabrir o país é complicado e, embora existam exemplos de outras localidades e recomendações dos Centros de Controle de Doenças e governos locais, não é uma ciência aperfeiçoada. Por isso, em qualquer situação em que saia de sua casa e fique perto de outras pessoas, é importante avaliar os riscos e tomar as devidas precauções.

Além disso, para aqueles que fazem parte do grupo de risco, como idosos e portadores de condições crônicas, esperar mais tempo antes de se aventurar por aí pode ser uma atitude sensata. Contudo, se optar por sair, lembre-se de usar máscaras quando necessário, seguir as regras estabelecidas pelos lugares que você estará visitando e continuar higienizando as mãos frequentemente.

“Agora, o que não pode ser esquecido sob nenhuma circunstância é que se você apresentar sintomas deve agir com responsabilidade e ficar em casa. Fazer escolhas inteligentes ajudará você (e outros) a se manter seguro.

Revisado clinicamente em Junho de 2020.

Fontes:

Revista Forbes. 21 de Maio de 2020. “Você deve evitar banheiros públicos para permanecer livre de coronavírus?”.

Nature.com. 27 de Abril de 2020. “Análise aerodinâmica do SARS-CoV-2 em dois hospitais de Wuhan”.

Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). Coronavírus 2019 (COVID-19). “Sintomas do Coronavírus”.

Business Insider.14 de Maio de 2020. “Todos os eventos com super propagação do coronavírus têm notáveis semelhanças e revelam os tipos de reuniões que devemos evitar”.