Por que acontecem falsos negativos nos testes da COVID-19?

By 22 de abril de 2020Covid 19

Todos os dias, informações sobre a pandemia lotam os noticiários e um dos assuntos recorrentes são os exames para a detecção da COVID-19. Onde você pode fazer um teste? Por que não há a quantidade necessária disponível? Quando todos forem testados poderemos dar fim ao isolamento social?

Essas são algumas das perguntas frequentes comentadas pelos jornalistas, mais um novo questionamento tem chamado a atenção: a questão dos resultados falso-negativos. Isso significa que parte das pessoas que estão sendo submetidas ao teste obtiveram resultados negativos, mesmo tendo a doença.

Agora, imagine que você foi testado e descobriu que era negativo. Você pode estar mais disposto a ignorar seus próprios sintomas, uma atitude bastante perigosa e prejudicial. Ou pode querer socializar com outros, aumentando assim o risco de contaminação de entes queridos e demais pessoas. Com um vírus altamente contagioso como o COVID-19, é importante entender como o teste é realizado e se você deve ou não se preocupar em receber um teste falso negativo.

Como são realizados os testes?

Atualmente existem dois tipos de teste. O primeiro é chamado de RT-PCR que significa Reação em Cadeia de Polimerase em Tempo Real. Também conhecido como teste molecular, o exame busca a presença do vírus no organismo através da análise de material coletado da garganta e nariz (mas também pode vir da boca ou do muco que é expelido).

Para realizar a análise deste teste, todo o procedimento laboratorial leva até 4 horas, mas o diagnóstico pode demorar dias.

O segundo, do tipo sorológico, ainda não está amplamente disponível, mas deve ocorrer em um futuro próximo. O teste rápido, como é popularmente chamado, procura anticorpos no sangue e identifica se alguém já foi infectado pelo vírus COVID-19 – mesmo se o teste RT-PCR for negativo.

A partir de uma amostra de sangue, é possível isolar os anticorpos e determinar se eles são específicos para o Sars-CoV-2, distinguindo assim pessoas que já tiveram contato com o vírus e se tornaram imunes ou foram assintomáticas.

A análise é rápida, entre 10 a 30 minutos já é possível obter o resultado. No entanto, os anticorpos específicos identificados neste exame, só costumam aparecer numa fase mais avançada da infecção, a partir do oitavo dia, o que pode contribuir para resultados falsos negativos.

Por que ocorrem falsos negativos nos dois tipos de teste?

Fazer um teste 100% exato 100% do tempo é uma façanha quando se considera todas as coisas que podem dar errado. Isso inclui obter uma amostra ruim, equipamento médico não funcionando perfeitamente e erro humano. Mas também existem outros fatores que podem causar este tipo de resultado. Por exemplo, se você tiver COVID-19, mas o vírus estiver presente em uma quantidade muito pequena da amostra, ou seja, um valor indetectável, talvez o sinal que os testes devem captar não seja forte o suficiente para acusar positivo.

Embora a taxa exata de falsos negativos seja atualmente desconhecida, pesquisadores reconhecem que os dois tipos de teste disponíveis no mercado podem dar esses resultados, porém em momentos distintos da evolução da doença.

E se eu fizer um teste e sair negativo?

Não se preocupe. Obter um resultado falso negativo é provavelmente raro. Isso significa que, se você for testado, deve assumir que seu resultado está correto, porque na grande maioria das vezes ele estará.

No entanto, se ainda tiver dúvidas converse com seu médico. Em circunstâncias limitadas, pode ser apropriado fazer um novo teste. No entanto, uma retestagem nem sempre é necessária. Como não existe tratamento específico para a COVID-19, descobrir se você é realmente positivo não muda muito os desfechos clínicos para a maioria das pessoas. Se está doente, a equipe médica estará atenta aos sintomas e cuidará de você de acordo com os protocolos estabelecidos para a condição clínica apresentada.  Além disso, quer o resultado tenha dado positivo, quer não, faça o que puder para ajudar a evitar que a doença se espalhe para outras pessoas. isso inclui ficar em casa, usar máscaras (mesmo que caseiras) ao sair, tossir e espirrar no cotovelo ou antebraço e lavar as mãos com frequência.

Resultados falso negativo podem afetar decisões como a flexibilização do isolamento pelo governo?

A resposta curta é não. Negativos falsos sempre ocorreram com exames médicos e sempre ocorrerão. Quaisquer projeções governamentais provavelmente já levam em conta esse tipo de falha. E novamente, a probabilidade de realmente obter um resultado falso negativo é muito baixa. Portanto, enquanto a população estiver sendo testada (mesmo que apenas em casos graves) saberemos se ainda existem casos de COVID-19 por aí, porque resultados positivos aparecerão.

Revisado clinicamente em Abril de 2020.

Fontes:

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). 23 de Março de 2020. “Três novos testes de Covid-19 ganham autorização”.

Folha de São Paulo. 15 de abril de 2020. “Testes para coronavírus: quais são os

Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).”Transcrição de telebriefing para o COVID-19. “

Organização Mundial da Saúde (OMS). “Atualizações contínuas sobre o COVID-19.”