6 dicas de como se preparar para ficar em casa durante o surto da COVID-19

By 3 de abril de 2020Covid 19, Notícias

Como a COVID-19 continua a se espalhar pelo Brasil (e pelo mundo), a maioria de nós tem acatado as orientações das autoridades para ficar em casa e assim “achatar a curva” e retardar a propagação da infecção. Mas por mais que você saiba que está fazendo a coisa certa ao se distanciar socialmente dos outros, pode ser realmente estressante vivenciar esta situação. Por isso, veja como se preparar e manter a cabeça fria durante esta estadia prolongada em casa.

Fique esperto em relação aos suprimentos

Embora alguns itens possam estar em falta nos mercados locais, atualmente não há escassez de alimentos pelo país. Portanto, ao comprar mantimentos, itens pessoais e artigos essenciais, adquira uma quantidade um pouco maior que a de costume para prolongar o tempo entre as visitas à loja. Mas perceba que a expressão chave aqui é ‘quantidade um pouco maior’. Não armazene itens em excesso. Isso só alimenta o pânico e pode levar à escassez. Além disso, quando for a hora de fazer compras, visite as lojas fora dos horários de pico ou considere a entrega de suas mercadorias em casa.

Se você tomar medicamentos, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) recomenda que considere comprar um suprimento para 2 semanas. Para aqueles com maior risco de doença grave, incluindo idosos e pessoas com condições crônicas, o CDC sugere adquirir um estoque um pouco maior. A agência também indica entrar em contato com um profissional de saúde para discutir a necessidade de comprar medicamentos extras.

Para pessoas com prescrições para distúrbios relacionados à saúde mental, a Aliança Nacional para Doenças Mentais (NAMI) incentiva o questionamento para obtenção de um suprimento que dure 90 dias, em vez de 30 ou 60 que é o mais habitual. Se isso não for possível, ela sugere ainda que faça a renovação da prescrição assim que for permitido.

Considere impor limites para os noticiários

Embora você deva se manter bem informado sobre a pandemia, é possível limitar um pouco o conteúdo que lê sobre a COVID-19 se isso o deixar excessivamente ansioso ou triste. Tente se concentrar nas notícias apenas uma ou duas vezes ao dia, ou por alguns minutos por vez. Também pode ajudar priorizar as informações locais. Além disso, é imprescindível que busque fontes confiáveis para se manter a par dos acontecimentos. Acreditar em todas as notícias que lê pode pôr em risco a sua proteção e a de sua família.

Mantenha um estilo de vida saudável

Enquanto você estiver em casa, os especialistas recomendam seguir uma rotina familiar e manter um estilo de vida saudável. Veja uma lista de hábitos benéficos para a saúde, especialmente neste momento de reclusão.

  • Coma refeições equilibradas em horários regulares e beba bastante água;
  • Mantenha um horário de sono consistente. Acorde e vá dormir na mesma hora todos os dias;
  • Evite o uso excessivo de álcool, pois ele pode prejudicar sua saúde física e mental a curto e longo prazo;
  • Desestresse quando possível. Separe momentos específicos para fazer coisas que você gosta, como ler um livro ou cuidar das plantas de casa;
  • Tente relaxar. Pratique a respiração profunda ou meditação para afastar sua mente dos eventos atuais;
  • Faça atividades físicas adequadas ao ambiente em que estiver, pois o exercício pode te manter em forma e aliviar o estresse. Se você tem filhos, incentive-os a correr pela casa, fazer polichinelos ou outros tipos de treinamento que possam ser divertidos.

Se comunique

Pode ser necessário um esforço extra para manter os relacionamentos interpessoais enquanto você estiver em casa, mas permanecer em contato com colegas de trabalho, familiares, amigos e outras pessoas da comunidade pode impedir que você se sinta isolado. Conecte-se através de telefonemas, mensagens por texto e bate-papos por vídeo. Junte-se a grupos de mídias sociais com base em interesses em comum. Troque dicas, discuta desenvolvimentos locais e converse sobre seus sentimentos. Muitas pessoas estão tendo emoções semelhantes. Você com certeza, não está sozinho.

Se você se enquadra em um grupo de alto risco, peça aos entes queridos que o verifiquem periodicamente. Não tenha medo de entrar em contato se ficar doente.

Ajude os outros

Em tempos de crise, ajudar os outros pode nos dar um propósito e fornecer uma distração valiosa. Embora você não consiga sair de casa, ainda há maneiras de ajudar sua comunidade.

Por exemplo, converse com pessoas mais velhas em grupos de alto risco sobre como elas estão se sentindo. Veja se elas precisam de algo e ofereça ajuda enquanto segue os princípios do distanciamento social. Executar pequenas tarefas, como pegar mantimentos ou ir à farmácia, pode ser uma grande ajuda. Lembre-se ainda de checá-los periodicamente conforme o tempo passa.

Você também pode doar provisões para bancos de alimentos locais e outras organizações de ajuda humanitária, que podem estar lidando com o aumento da demanda, ou ainda comprar a distância de empresas locais, pois muitas pequenas operações estão enfrentando sérios problemas financeiros. Alguns restaurantes estão aumentando sua capacidade de entrega para ajudar a manter-se à tona. Faça um pedido nestes locais e dê uma boa gorjeta, se puder. Mas para se prevenir mantenha as regras de distanciamento e de limpeza ao pegar a embalagem e desembalar a refeição.

Saiba reconhecer sinais de um problema maior

Embora estar estressado, zangado ou triste com a pandemia seja normal, é importante pedir ajuda ou entrar em contato com seu médico se você estiver sobrecarregado ou se seus sentimentos estiverem afetando o modo como você atua normalmente.

Se você ou alguém que ama estiver enfrentando uma crise de saúde mental ou estiver pensando em se machucar, entre em contato com o Centro de Valorização a Vida (CVV) no número 188 imediatamente.

Obviamente, se você acreditar estar infectado com COVID-19 ou apresentar sintomas da doença como febre, tosse seca ou problemas respiratórios, tome medidas imediatas de isolamento e evitar espalhar sua doença para outros.

Ao apresentar sinais de infecção, ligue para o seu médico e obtenha instruções de como proceder. Ao ir a um hospital, informe à equipe médica que você pode ter sido exposto ao coronavírus. Uma vez avisados eles te isolarão e determinarão se você precisa fazer o teste.

 Revisado clinicamente em março de 2020.

 Fontes:

Revisado clinicamente em março de 2020.

Administração de Serviços de Abuso de Substâncias e Saúde Mental. “Lidar com o estresse durante surtos de doenças infecciosas”. Outubro de 2014.

Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA). “Perguntas frequentes sobre o coronavírus 2019 (COVID-19).”

Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). “Doença coronavírus 2019 (COVID-19): Como se preparar”, “Doença coronavírus 2019 (COVID-19): Você está em maior risco de doença grave?” “Doença coronavírus 2019 (COVID-19): gerencie a ansiedade e o estresse”, “Doença coronavírus 2019 (COVID-19): Recursos para o lar”, “Doença coronavírus 2019 (COVID-19): O que fazer se estiver doente.”

Aliança Nacional sobre Doenças Mentais dos Estados Unidos (NAMI). “Atualizações da NAMI sobre o coronavírus”. 20 de março de 2020.

Organização Mundial da Saúde (OMS). “Considerações de saúde mental durante o surto de COVID-19”. 6 de março de 2020.

Associação de Saúde Mental no Estado de Nova York. “MH Update – 12/3/20 – Declaração da Mental Health America sobre o impacto na saúde mental do COVID-19.” 12 de março de 2020.

Associação Americana do Coração dos Estados Unidos (AHA). “Recursos para manter um estilo de vida saudável em meio ao surto de COVID-19”.