O sucesso em controlar os nervos e manter a calma sob pressão está diretamente ligado com a sua performance no dia a dia. O estresse é algo que todos nós queremos evitar. Na maioria das vezes, vem involuntariamente e, quando percebemos, já estamos com os nervos à flor da pele. Segundo a coach de saúde e psicóloga da Healthways, uma empresa Sharecare, Juliana Salvador, o estresse é uma reação fisiológica e psíquica do ser humano a situações de perigo.

“As causas podem ser inúmeras. Situações adversas à rotina, dificuldades de adaptar-se ao novo ou àquilo que não sabemos lidar, novas descobertas, incertezas, competitividade no trabalho, família, tudo aquilo que possa gerar algum desconforto. Até esse momento de crise política e econômica que estamos vivendo pode servir como causa para o estresse”, afirma a psicóloga.

E, apesar de ser uma condição natural do ser humano, o estresse constante tem uma influência muito grande em diversos aspectos da nossa saúde. A perda de produtividade, o cansaço e a desatenção no trabalho são as consequências mais comuns, mas a condição influencia também nos relacionamentos interpessoais, na autoestima e no convívio familiar, acarretando em sintomas como depressão, ansiedade, pânico, entre outros.

Além disso, o estresse é um dos fatores que mais nos envelhece, segundo o Dr. Michael Roizen, criador do método RealAge, que identifica a idade do corpo baseado nos hábitos de cada pessoa. De acordo com o especialista, adotar medidas para controlar o estresse pode rejuvenescer o corpo em até 32 anos.

E não tem segredo. Juliana explica que toda atividade que tire o foco do fator estressor, mesmo que momentaneamente, serve como válvula de escape e resulta em maior qualidade de vida. “Qualquer atividade prazerosa que proporcione bem-estar com qualidade e possa trazer os benefícios para o dia a dia ajuda a enfrentar as situações de forma saudável e diminuir seus prejuízos”, conta a psicóloga.

As atividades podem variar desde as mais cotidianas, como cozinhar, passear com a família, praticar exercícios físicos, usar aplicativos de música para relaxamento e meditar, até as mais específicas, que permitem acessar os medos e enfrentá-los de forma saudável e diretiva. Alguns exemplos são: ajuda com o sono, profissionais de coach, psicoterapia, terapias, florais e fitoterápicos.