Veja 3 causas do absenteísmo e saiba como combatê-las!

By 5 de novembro de 2020Notícias

Embora diversos sejam os fatores que impactam no desenvolvimento das atividades de uma empresa, não há como negar que o absenteísmo no trabalho é uma questão que merece uma atenção especial por parte de gestores e líderes.

Isso porque altos índices de absenteísmo, na prática, podem representar perdas produtivas significativas para o negócio, sobretudo quando se trata de setores em que o capital humano está diretamente ligado às operações e aos resultados.

Nesse sentido, ao gestor, não basta ser capaz de identificar e recrutar os melhores talentos para a sua empresa. Mais do que isso, é crucial desenvolver ações para manter os profissionais engajados, motivados e comprometidos com as suas funções. Além disso, é seu papel oferecer um ambiente de trabalho adequado, que contribua com a saúde e bem-estar dos colaboradores.

Dada a relevância que o absenteísmo no trabalho tem dentro das empresas, preparamos este artigo para tratar melhor sobre o tema, destacando 3 das principais causas desse problema e como combatê-las. Continue a leitura e confira!

Os impactos do absenteísmo no trabalho

De modo geral, a produtividade é o ponto mais afetado dentro das empresas quando o assunto é absenteísmo. Com equipes frequentemente desfalcadas, há uma série de ocorrências que interferem no bom andamento das atividades, como:

  • sobrecarga de trabalho em relação aos colaboradores presentes;
  • desorganização na rotina, dada a necessidade de que colaboradores assumam as responsabilidades dos ausentes;
  • ineficiência operacional, também ocasionada pela necessidade de que funcionários, muitas vezes sem as habilidades, assumam as funções de outros;
  • desgaste do clima interno, o que também impacta na motivação e no rendimento das equipes.

Além desses pontos, também é preciso considerar que altos índices de absenteísmo impactam negativamente sobre as finanças da empresa. Nesse sentido, por exemplo, pode-se aumentar os custos com o pagamento de adicionais por horas extras, dada possível necessidade de aumento da jornada dos funcionários para conseguir manter a produtividade.

No mais, quando o absenteísmo está relacionado a questões de saúde, a empresa precisa arcar com os prejuízos decorrentes de afastamento do empregado, acionamento do plano de saúde e, em casos mais graves, contratação de substitutos.

As 3 principais causas de absenteísmo nas empresas

Em regra, um alto índice de absenteísmo no trabalho está diretamente relacionado a dois pontos principais: a insatisfação do funcionário em relação a empresa e os problemas de saúde. Desses dois fatores, outros acabam surgindo e merecem a atenção por parte dos gestores e líderes. Vejamos alguns exemplos!

1. Falta de motivação

A falta de motivação pode ter origens internas — isto é, relacionadas à empresa — ou externas. Por exemplo, se o colaborador atua em uma função com a qual não sente prazer, não se sente valorizado, certamente trabalhará desmotivado, uma situação que pode contribuir para o seu absenteísmo.

Além disso, existem questões internas que também podem desmotivar o funcionário, como:

  • jornadas de trabalho excessivas;
  • falta de descanso;
  • condições de trabalho inadequadas;
  • baixa remuneração;
  • falta de perspectiva quanto ao crescimento dentro da empresa;
  • ausência de benefícios e outros.

Todos esses são fatores precisam estar no “radar” dos gestores, a fim de que estratégias possam ser aplicadas para reverter o quadro.

2. Estresse e depressão

As chamadas doenças psicossociais, como a depressão, também figuram como uma das grandes causadoras de absenteísmo nas empresas. Para se ter uma ideia da complexidade do problema, a depressão é a terceira maior causa de afastamentos médicos no estado de São Paulo. No Brasil, a patologia ocupa a 13ª posição.

Tanto o estresse quanto a depressão podem estar relacionados com fatores internos. Entre os mais comuns, pode-se destacar:

  • trabalho em ambiente hostil;
  • cobrança excessiva;
  • falta de descanso e lazer;
  • sobrecarga de trabalho;
  • desvalorização dos cuidados com a saúde mental;
  • descontentamento com as funções; entre outros.

A depressão também pode surgir por questões pessoais, como conflitos familiares, perda de entes queridos e outras. Em todos os casos, é fundamental que a empresa tenha uma cultura de acompanhamento da saúde mental dos seus colaboradores, minimizando assim os danos que podem ser causados por esse grave problema.

3. Problemas de saúde física

O absenteísmo também é um bom indicador de como anda a saúde dos colaboradores. Quando se observa a recorrência de afastamentos por motivo de doença, é possível que as condições de trabalho oferecidas na empresa estejam contribuindo com o surgimento ou agravamento de enfermidades.

Os problemas mais comuns são ocasionados por doenças ocupacionais, quadro que tem uma íntima relação com más condições de trabalho. Além disso, problemas de saúde física também podem ser causados por acidentes de trabalho ou pela exposição desprotegida a ambientes insalubres e perigosos.

No mesmo sentido, hábitos prejudiciais à saúde, como o tabagismo, má alimentação e o sedentarismo, pesam negativamente sobre as estatísticas de absenteísmo por razões de doenças físicas.

Medidas estratégicas para combater o absenteísmo no trabalho

Como visto, o absenteísmo no trabalho pode gerar uma série de impactos negativos sobre os resultados da empresa. Em razão disso, é fundamental que os gestores estejam atentos às causas desse problema, agindo para solucioná-las.

A seguir, destacamos algumas das ações estratégicas que podem auxiliar na redução do absenteísmo no trabalho. Vejamos!

Investir em prevenção

A melhor estratégia para lidar com as altas taxas de absenteísmo é, sem dúvida, evitar que elas atinjam níveis preocupantes. Para tanto, focar em ações que contribuam com o clima organizacional da empresa é uma excelente alternativa.

Nesse sentido, valorizar o colaborador é uma medida preventiva de grande valia, pois melhora a relação da empresa com as equipes, fortalece a motivação e, consequentemente, reduz as taxas de absenteísmo.

Para isso, é importante que o hábito de reconhecer o bom trabalho e oferecer feedbacks construtivos estejam integrados à cultura da empresa. Além disso, a formulação de um ambiente colaborativo, saudável e pautado na comunicação, pode prevenir os afastamentos ao reduzir os riscos de atritos internos, ruídos na comunicação e outros pontos similares.

Do ponto de vista da saúde física, a prevenção também deve estar presente no ambiente. Nesse sentido, investir em ergonomia e na promoção de hábitos saudáveis são algumas medidas mais gerais que podem prevenir os afastamentos.

Ações mais específicas certamente demandam uma leitura mais técnica e aprofundada da realidade das equipes. Com base em dados e análises, é possível executar planos estratégicos mais direcionados, aumentando a probabilidade de bons resultados e otimizando os custos.

Engajar as equipes

O engajamento dos colaboradores é um dos quesitos determinantes para o sucesso de qualquer ação que vise a redução do absenteísmo. Isso porque, não basta traçar uma excelente estratégia para reduzir os altos índices. Além disso, é indispensável que os trabalhadores adotem as medidas estabelecidas e sintam que elas são efetivas.

Para fortalecer o engajamento, pode-se pensar em medidas como:

  • definir metas;
  • reconhecer o esforço das equipes;
  • oferecer pequenas recompensas, entre outras.

Investir em tecnologia e soluções personalizadas

Como visto, o absenteísmo pode ser ocasionado por diferentes fatores. Por essa razão, nem sempre é recomendado que a empresa adote ações genéricas para tentar reverter a situação, pois há o risco de se gastar com ações improdutivas e pouco aderentes às reais causas do problema.

Na realidade, considerando as diferentes ferramentas que se tem à disposição atualmente, o mais indicado é investir em tecnologia, em recursos e soluções que facilitem o monitoramento dos recursos humanos em seus mais diferentes aspectos, como desempenho, saúde e bem-estar.

Com o apoio de softwares e dos dados, por exemplo, gestores podem ter muito mais visibilidade sobre a real situação dos colaboradores, podendo identificar as principais causas de afastamento, por exemplo. A partir dessas leituras, certamente fica mais fácil direcionar ações e investimentos, aumentando o retorno e os resultados.

Em conjunto com essas medidas, investir em soluções personalizadas também pode potencializar a gestão dos recursos humanos da empresa. Soluções desenvolvidas com base nas necessidades e características da empresa, por exemplo, podem conduzir a avaliações mais finas e viabilizar ajustes mais estratégicos.

Por fim, o absenteísmo no trabalho é um indicador que está intimamente relacionado com o nível de satisfação, bem-estar e saúde dos colaboradores dentro e fora da empresa. Quando esse índice está muito elevado, os impactos negativos sobre a produtividade e os resultados do negócio são praticamente certos. Por isso, é fundamental avaliar as causas desse problema de forma criteriosa e, a partir disso, estabelecer um plano estratégico focado na solução.

Gostou deste conteúdo? Aproveite para seguir lendo e se informando mais sobre medicina preventiva, já que esse tema tem um impacto direto sobre o absenteísmo nas empresas. Confira nosso artigo sobre o assunto!