Cirurgia bariátrica: custo extra ou esforço preventivo?

By 22 de setembro de 2020Notícias

Cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica é, em muitos casos, um dos últimos recursos para pacientes que têm no emagrecimento a oportunidade de reencontrar qualidade de vida. O procedimento, realizado pela rede pública e complementar, é bastante complexo, o que muitas vezes leva a um processo de aprovação burocrático.

Segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar, em todo o ano de 2018 foram realizadas 63.969 cirurgias bariátricas no país. Um crescimento de 84,73% no número de cirurgias, se comparado a 2011.

Algumas operadoras de saúde tendem a perceber a bariátrica como um custo extra. No entanto, se consideramos que essa cirurgia é um método de prevenção de diversas doenças relacionadas ao excesso de peso, a maneira de ver essa intervenção pode ser diferente. Afinal, a depender do histórico do paciente, essa cirurgia pode significar redução de custos com tratamento, internações, entre outros.

Para abordar o tema conosco, convidamos uma especialista: Dra. Jane Teixeira, Gerente de Produtos Médicos, Treinamento e Qualidade da Sharecare. Acompanhe!

Planos de saúde e a cirurgia bariátrica

De acordo com a Dra. Jane Teixeira, a cirurgia bariátrica tem cobertura obrigatória desde que respeitadas as diretrizes da ANS, que ajudam a definir a pertinência da cirurgia.

As regras da ANS para a cobertura da bariátrica pelos planos de saúde indicam que é necessário:

  • estar na faixa etária entre 18 e 65 anos;
  • ter realizado tratamento clínico para emagrecimento por no mínimo 2 anos, sem sucesso;
  • ter IMC maior ou igual a 40 por no mínimo 5 anos, sem comorbidades, ou IMC entre 35 e 39,9 acompanhado de no mínimo uma doença relacionada à obesidade como diabetes, apneia do sono, hipertensão arterial, entre outras.

Também devem ser cobertas consultas e procedimentos com equipe multiprofissional necessária para avaliação pré-operatória e acompanhamento pós-operatório — caso o plano seja de cobertura ambulatorial.

São também cobertos procedimentos de cirurgia plástica reparadora após a perda de peso, que contribuem para o bem-estar desses pacientes.

Para que tudo isso seja possível, os planos devem oferecer uma rede de especialistas bem preparados, incluindo médicos, psicólogos e nutricionistas, que possam auxiliar os pacientes em seu planejamento para perda de peso e indicar os procedimentos conforme a real necessidade.

Vantagens da cirurgia bariátrica para as operadoras

Não é incomum que os pacientes tenham seus procedimentos negados pelas operadoras, ainda que tenham laudos de cirurgião gástrico e de outros profissionais da área. Os motivos mais comuns para a negativa costumam ser:

  • doença pré-existente;
  • falta de preenchimento dos requisitos da Agência Nacional de Saúde (ANS);
  • emissão de terceira opinião proferida por médico do próprio plano de saúde;
  • carências a cumprir.

Por se tratar de uma questão de saúde, é preciso que o pleito esteja embasado na melhoria da qualidade de vida do paciente, e não o contrário. Afinal, a cirurgia bariátrica não é de pequeno porte e modifica para sempre a vida da pessoa que a realiza.

Para a operadora, é importante informar ao beneficiário que é necessária uma grande adaptação, bem como romper velhos hábitos, tendo o processo acompanhado tanto pelos médicos, quanto pela própria operadora.

Apesar de os tratamentos de saúde para as doenças relacionadas à obesidade poderem ser bastante onerosos para as operadoras, vale identificar como a aprovação da cirurgia bariátrica pode ser também vantajosa.

Combate a obesidade

Uma pesquisa realizada em 2017, publicada na página da ANS, verificou que mais de 50% dos usuários dos planos de saúde têm excesso de peso ou são obesos. Ou seja, se essas pessoas ainda não buscaram por tratamento, uma hora isso pode acontecer.

O combate à obesidade é também uma questão de saúde pública. As internações devido a doenças relacionadas ao excesso de peso custaram mais de 64 milhões aos cofres públicos só no ano de 2018, de acordo com o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor. Isso faz com que o Brasil ocupe o 4º lugar entre o países com mais internações por causas metabólicas, endócrinas e nutricionais.

Previne doenças crônicas

A cirurgia bariátrica pode prevenir doenças crônicas, oferecendo mais qualidade de vida para o paciente e menos custos em tratamento para as operadoras de saúde.

Em alguns casos, ela não só evita que problemas apareçam, como contribui para a remissão e controle de muitas doenças, como a diabetes — desde que o paciente siga as recomendações para garantir sua qualidade de vida.

Desvantagens da cirurgia bariátrica para as operadoras

Sem o acompanhamento adequado, o paciente pode perder os resultados da cirurgia em algum tempo e ganhar peso novamente. Entenda melhor essas e outras questões da bariátrica.

Alto custo

Mesmo que possa ser considerado um recurso preventivo, não há como ignorar que o procedimento da bariátrica realmente tem um custo bastante elevado.

Além da cirurgia em si, são diversas consultas e exames envolvidos nas etapas pré e pós-cirurgia.

Risco de complicações

Toda cirurgia tem seus riscos. Na bariátrica, o paciente pode sofrer com:

  • embolia pulmonar;
  • fístulas;
  • sangramento interno.

Todos esses processos podem ocasionar novas internações e cirurgias, elevando os custos.

Possibilidade de reincidência da obesidade

A cirurgia bariátrica não é um procedimento que garante o fim da obesidade. Pacientes que não estabelecem um compromisso firme com a mudança em seu estilo de vida podem recuperar todo o peso e, consequentemente, as doenças relacionadas.

Quando aprovar e quando negar a cirurgia

O plano de saúde não tem como obrigação aprovar a cirurgia de pacientes que não atendam aos critérios exigidos ou não tenham os devidos laudos.

Muitos usuários recorrem à justiça para tentar a liberação por meio de uma liminar. Porém, os próprios tribunais têm buscado referências de experts antes da decisão e exigido os documentos mínimos para o pleito.

Como a Sharecare pode ajudar pacientes e operadoras

Programas que estimulam a adoção de bons hábitos de vida podem auxiliar os pacientes a emagrecerem sem a necessidade uma cirurgia, o que evita custos desnecessários ou possíveis complicações. Um deles é o Programa Coaching Preventivo, oferecido pela Sharecare.

A Dra. Jane Teixeira explica que a Sharecare conta com equipe multidisciplinar preparada para uma abordagem voltada à medicina do estilo de vida e capaz de auxiliar os pacientes no planejamento e aderência a seu plano de cuidados, fornecendo informações qualificadas.

“Trabalhamos ainda o acolhimento dessa população para demandas clínicas e emocionais, serviço de urgência telefônica e programa de alta hospitalar para diminuir reinternações evitáveis”, afirma a Dra. Jane Teixeira.

Ao contrário do que muitos pensam, a cirurgia bariátrica não é um método de emagrecimento fácil. A decisão de operar deve ser muito bem estudada e orientada por profissionais competentes e capacitados. Dessa forma, passa a ser vantajosa tanto para a operadora, quanto para os pacientes.

A Sharecare é referência em soluções de saúde preventiva. A expertise construída ao longo dos anos pode ajudar a sua operadora a reduzir o número de procedimentos desnecessários. Entre em contato conosco e saiba mais!