Como o bem-estar pode apoiar o desenvolvimento de colaboradores mais engajados

By 18 de outubro de 2019Notícias

Acreditar que o papel da saúde e do bem-estar no ambiente de trabalho se limita aos exames de admissão e demissão de funcionários é, sem dúvida, uma visão extremamente reducionista e equivocada acerca da importância dos cuidados com a saúde no universo corporativo.

Na realidade, o que se percebe hoje é uma crescente preocupação com o tema dentro das empresas, visto que a saúde e bem-estar são fatores que contribuem diretamente para a presença de colaboradores engajados, mais motivados e produtivos.

Nesse contexto, fica claro que investir em qualidade de vida do colaborador é um passo importante para a qualificação do ambiente interno de empresas. Negócios preocupados com esse aspecto podem experimentar ganhos potenciais em produtividade, retenção de talentos e redução de custos com sinistralidade.

Dada a importância desse assunto para a realidade das empresas, preparamos este artigo para mostrar como a promoção do bem-estar corporativo pode fortalecer o desenvolvimento de colaboradores mais produtivos. Acompanhe!

Bem-estar e produtividade nas empresas

Os recursos humanos estão entre os ativos mais valiosos de qualquer empresa. Mesmo com os avanços tecnológicos, grande parte dos processos empresariais ainda dependem da mão de obra humana, sendo ela a responsável por parcela dos resultados de pequenos negócios até grandes organizações.

Nesse sentido, é comum haver uma alta carga de cobrança sobre os colaboradores, seja por meio de metas, seja pela própria pressão de preservar a sua função dentro da empresa. Essa é uma realidade que gera um alto nível de estresse nos profissionais, ocasionando uma série de outros problemas, inclusive de saúde, como as doenças ocupacionais.

Esse cenário tem levado muitas empresas a repensar e rever a maneira como gerencia seus recursos humanos. Hoje, há um forte movimento de valorização do profissional, sobretudo no que diz respeito às questões de saúde e bem-estar no trabalho. Nesse ponto, a saúde ocupacional vem ganhando cada vez mais força.

Prova disso está em um levantamento realizado pelo SESI, de outubro de 2015 a fevereiro de 2017, com aproximadamente 500 empresas. Nesse estudo, constatou-se que:

  • em média 71,6% das empresas se preocupam com a saúde dos trabalhadores;
  • 76,4% aposta no aumento da atenção à questão da saúde nos próximos 5 anos;
  • cerca de 48% dessas empresas aplicam ações de promoção da saúde no trabalho, visando reduzir ausências por esse motivo;
  • 38% das empresas enxergam a promoção da saúde como um importante fator para a redução de custos;
  • as grandes empresas são as que mais dão atenção à saúde dos seus funcionários.

Muito disso se deve à percepção dos impactos que o bem-estar tem sobre a produtividade de um profissional. A lógica é bastante simples: colaboradores mais saudáveis física e mentalmente tendem a apresentar uma performance laborativa maior que aqueles que apresentam algum tipo de problema.

Além disso, o bem-estar e a saúde no ambiente corporativo também trazem benefícios do ponto de vista da redução do absenteísmo, acionamento de planos de saúde e de doenças ocupacionais, por exemplo. Todos esses fatores, sem dúvida, ajudam profissionais e empresas a trabalhar de forma muito mais qualificada e sustentável.

Ações que contribuem para motivar e engajar colaboradores

No dia a dia de atividades de uma empresa, existem diversas medidas que podem ser postas em prática para estimular o bem-estar laboral e fortalecer a produtividade, a motivação e o engajamento dos profissionais. São ações simples, muitas vezes relacionadas a uma cultura de saúde e bem-estar interno.

A seguir, reunimos algumas boas práticas que podem contribuir para a qualificação do ambiente interno da empresa. Confira!

Promova campanhas de saúde e bem-estar

A promoção da saúde e bem-estar em ambientes corporativos deve seguir uma linha descendente, partindo das lideranças até chegar aos colaboradores. Nesse sentido, uma das maneiras de se fortalecer esse atributo é a partir da promoção de campanhas internas.

Aqui, há diversos caminhos a serem explorados para se colocar tais campanhas em prática. A exemplo, pode-se aproveitar a divulgação de campanhas de caráter público, como aquelas voltadas para a conscientização sobre:

  • prevenção de doenças crônicas;
  • prevenção ao câncer;
  • a importância das atividades físicas etc.

Além disso, é possível desenvolver campanhas focadas na SIPAT, por meio da CIPA da empresa, assim como também pode-se buscar apoio de parceiros especializados no segmento de saúde populacional, como a Sharecare.

Por meio de tecnologias, protocolos e ferramentas, a empresa auxilia empregadores a eliminar fatores de risco, otimizar a gestão de doentes crônicos e desenvolver uma gestão planejada da saúde. Tudo para fortalecer esse tema dentro dos negócios.

Ofereça treinamentos individuais e em grupo

Segundo dados do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho do Ministério Público do Trabalho (MPT), foram registrados cerca de 4,9 milhões de acidentes de trabalho no Brasil, de 2012 até setembro de 2019. De acordo com esse levantamento, ocorre um acidente laboral a cada 49 segundos no Brasil.

Esses dados mostram que os acidentes de trabalho estão entre os problemas mais graves relacionados à saúde e bem-estar de profissionais em empresas. Por isso, investir em soluções para reverter esse cenário é fundamental. Nesse sentido, um dos caminhos indicados é oferecer treinamentos individuais e coletivos aos colaboradores para minimizar os riscos de acidentes.

Nesses treinamentos, é crucial que a empresa destaque a importância da utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), além de instruir os profissionais sobre como proceder nas mais diferentes situações de risco. De forma mais ampla, esses treinamentos precisam criar uma cultura de segurança realmente efetiva, reduzindo negligências e descumprimentos a regras. Para tanto, pode-se, por exemplo:

  • esclarecer sobre as questões legais envolvidas na segurança do trabalho;
  • demonstrar os efeitos positivos que ações de segurança geram no dia a dia do profissional;
  • implementar uma cultura de fiscalização mútua entre os profissionais;
  • oferecer estímulos para a redução dos riscos, como adicionais e bônus salariais;
  • entre outras medidas.

Eduque para hábitos saudáveis

O estilo de vida que o profissional leva fora da empresa também tem o condão de interferir no seu rendimento no trabalho. Hábitos negativos, como sedentarismo, tabagismo, entre outros, por exemplo, podem prejudicar não só a sua saúde, mas também a sua produtividade.

Nesse sentido, educar os colaboradores sobre a importância e os benefícios de uma vida saudável pode, sem dúvida, gerar resultados bastante positivos tanto para a empresa quanto para os próprios funcionários.

Ações voltadas para o estímulo ao esporte e atividade física, por exemplo, devem fazer parte das pautas de reuniões. Do mesmo modo, medidas práticas, como a ginástica laboral, também podem contribuir para a promoção do bem-estar, assim como aqueles direcionadas para a minimização do estresse.

Por fim, é válido mencionar que qualquer ação a ser executada pela empresa se torna mais efetiva quando se tem acesso a dados concretos. Ou seja, se os gestores e líderes têm à disposição informações de saúde dos seus recursos humanos, como as principais causas de afastamento do trabalho e demandas mais recorrentes nos planos de saúde, fica muito mais fácil e preciso desenvolver políticas internas de promoção de hábitos saudáveis e de reforço à saúde laboral. A partir disso, certamente trabalhar com colaboradores engajados será um dos efeitos percebidos.

Gostou deste conteúdo? Acredita que essas informações podem ser úteis a mais pessoas? Então, aproveite para compartilhá-las em suas redes sociais!

Leave a Reply