Toda vez que decidimos iniciar um novo hábito, o mais difícil não é começar a atividade, mas sim mantê-la até virar uma rotina. O maior exemplo desse movimento é a atividade física. Muitas pessoas que começam a se exercitar largam o hábito nos primeiros seis meses, mesmo depois de uma crise de saúde. Após uma cirurgia cardíaca, por exemplo, todos seguirão as instruções do seu profissional de saúde sobre dieta e exercício, mas não por muito tempo. Uma vez que as pessoas começam a se sentir bem novamente, ou começam a ver mudanças no corpo, a tendência é relaxar e retomar seus velhos hábitos.

Como evitar que isso aconteça? Segundo o autor Charles Duhigg, em seu livro “O poder do hábito – por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios”, todos os hábitos podem ser divididos em três partes distintas, mas interligadas, que formam um ciclo conhecido como o ‘Loop do Hábito’. As partes são: Deixa, Rotina e Recompensa.

A parte denominada ‘Deixa’ é caracterizada como um gatilho que fará com que o cérebro inicie uma atividade. Pode ser um local, um objeto, uma pessoa ou um sentimento. A ‘Rotina’ é a atividade realizada após ter passado pela Deixa, como exercícios físicos, parar de fumar ou mudar a alimentação. E a ‘Recompensa’ seria o prêmio ou a sensação por ter realizado a atividade. Quanto mais forte for o retorno da recompensa, maior será o desejo de repetir a Rotina, que ficará cada vez mais presa na memória, aumentando as chances de se tornar um hábito. Duhigg afirma que o foco não deve estar na Rotina e sim na conexão entre a Deixa e a Recompensa que estão associadas à prática.

Além disso, garantir que o novo hábito se torne “comum” pode exigir o reforço de uma comunidade. Adotar essas mudanças junto com amigos que tenham o mesmo interesse pode trazer mais benefícios do que apenas socialização e incentivo. A rivalidade amigável também pode ser um impulso. A comunidade constrói a autoestima que almeja a dedicação. Confira as vantagens de se exercitar com um grupo de amigos:

 

Sentir os benefícios o motivarão

As pessoas sentem-se melhor quando se exercitam, mas pode levar meses antes de notarem que estão mais felizes, dormem melhor e têm mais energia. Os colegas ou um treinador ajudam a superar os estágios iniciais, quando os primeiros sinais de uma melhor saúde podem não ser consistentes ou óbvios.

Uma comunidade pode ajudar a identificar os obstáculos

Muitas vezes as pessoas ficam frustradas e esquecem porque perdem força. Os amigos podem ajudar a identificar os obstáculos, como dor ou um equipamento inapropriado, e trabalhar em torno deles.

Seu treinador e colegas ajudarão a medir o progresso

Um bom treinador montará um programa adequado para garantir sucesso no início. Você verá resultados perceptíveis, tornando-se mais confiante à medida que se exercitar. As pessoas param quando não veem diferença. O treinador e colegas podem manter o seu pé no chão em caso de expectativas altas demais ou baixa autoestima.

A comunidade pode ajudar a ver todo o cenário

O seu círculo social pode lembrar constantemente dos seus objetivos na academia, seja perder peso, executar sua primeira maratona ou permanecer ativo em seus anos de aposentadoria.

 

Fontes: Sharecare e “O poder do hábito – por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios”