Reduzir as ocorrências de infecção hospitalar significa evitar mortes e diminuir custos do sistema de saúde. Isso equivale a salvar mais de 8,5 mil vidas nas UTIs de hospitais públicos e gerar uma economia de até R$ 1,2 bilhão com internações, de acordo com o Ministério da Saúde. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), diariamente, mais de 1,4 milhão de pessoas no mundo sofrem com infecções adquiridas em hospitais.

Nenhum hospital está livre das infecções adquiridas durante a internação, porém a redução do número de casos é possível e hoje faz parte do objetivo de vários programas de gestão existentes em diversos países. Medidas que reduzam o tempo de permanência hospitalar ou que evitem as readmissões evitáveis de pacientes tornam-se fundamentais.  

Pensando nisso, a Sharecare desenvolveu o Alta Hospitalar, um programa de acompanhamento que tem como foco a redução da taxa de readmissão dos pacientes pós-alta hospitalar. O programa está baseado em cinco áreas relacionadas ao alto risco de uma nova admissão:

  • Compreensão e execução do plano de tratamento;
  • Agravamento e reconhecimento de novos sintomas;
  • Sinais de alerta para autocuidado com a saúde;
  • Recomendações e apoio ao cuidador
  • Avaliação de outras necessidades e apoio na busca de soluções.

“A nossa experiência no gerenciamento de mais de 70 milhões de vidas no mundo aponta como a gestão de saúde pode gerar impactos positivos para a saúde financeira do seu negócio. As empresas que participam do programa de Alta Hospitalar atingiram redução de 15% da frequência de reinternação e ROI de 30,4 pela metodologia CEM, demonstrando que é possível realizar uma gestão eficiente e com resultados”, explica o diretor Comercial e Marketing, da Sharecare, Albert Sales.

Para saber como alcançar os melhores resultados em redução de custos em saúde, fale com nossa equipe.