A data internacional de conscientização do diabetes é celebrada em novembro, mês do nascimento de Frederick Banting, médico canadense que descobriu a insulina. Mas em 27 de junho é que a prevenção e os cuidados no controle da condição também são lembrados em nosso país. Afinal, com os cuidados e tratamentos necessários, é possível viver bem com o diabetes. E com a mudança de hábitos essa tarefa pode ser mais fácil do que parece.

 

Prevenção e cuidados

De acordo com a Sociedade Brasileira de Diabetes, estar acima do peso, principalmente quando associado ao consumo excessivo de alimentos e bebidas hipercalóricas, e cultivar um estilo de vida sedentário contribuem para o desenvolvimento do diabetes tipo 2 – além, é claro, do histórico de diabéticos na família. Caso esteja dentro dos fatores de risco, consulte seu médico ou um endocrinologista, pois o diagnóstico precoce e o acompanhamento médico são fundamentais no controle da doença e na busca pelo bem-estar!

Durante o tratamento, além do controle glicêmico, por meio de injeções de insulina ou de outros medicamentos receitados pelo médico, paciente deve fazer um planejamento alimentar – e não uma dieta específica, como é comumente confundida. Dependendo do caso, o planejamento aliado à prática de exercícios físicos, e a adoção de hábitos saudáveis no geral, pode ser o suficiente para controlar o avanço da doença e viver bem. Mas para que o tratamento seja feito de forma efetiva, é importante ter o auxílio de uma equipe multidisciplinar de saúde e seguir as orientações.

 

Gestão de Crônicos: coordenação de cuidado

Foi pensando na manutenção da saúde nas populações com doenças crônicas – sem que haja a necessidade de ir a hospitais e ambulatórios, por exemplo – que a Sharecare criou a Gestão de Crônicos: uma equipe de saúde que conta com mais de 50 enfermeiros, além de outros profissionais, como nutricionistas, fisioterapeutas, educadores físicos e psicólogos. Esses especialistas orientam os participantes na adoção de hábitos mais saudáveis, que os ajudem a superar os desafios de conviver com uma condição crônica, entre elas o diabetes.

De acordo com 87% dos participantes, entre os 10 mil inscritos na Gestão Crônicos por pelo menos um ano, foi percebida melhora individual da saúde após aderirem ao programa. O programa monitora os hábitos dos participantes, além de oferecer orientações com foco em mudança de comportamento – e os resultados mostram que isso realmente funciona. Entre os inscritos, 94% passaram a fazer acompanhamento médico regularmente, 57% aderiram dietas mais saudáveis e 45% começaram a praticar exercícios mais do que duas vezes por semana.

Já para as empresas, comprovando o benefício mútuo, a melhora dos funcionários rederam 74% de economia em custos com internações e 26% com custos ambulatoriais, algo em torno de R$ 742 per capita/mês e R$ 177 per capita/mês, respectivamente.