Você sabe o que é e como fazer employer branding? Nós te explicamos!

By 11 de agosto de 2020Notícias

employer branding

Quando uma empresa pensa em marketing, o principal objetivo que vem à cabeça é a captação de clientes. No entanto, cada vez mais as estratégias de publicidade vêm tentando abranger um outro público: os funcionários. A essa nova modalidade de marketing, damos o nome de employer branding.

O objetivo dessa estratégia é reduzir o chamado “turnover de colaboradores”, que mensura a troca de funcionários em uma empresa. Para termos noção, esse índice aumentou 82% no Brasil em 8 anos — uma taxa maior do que o dobro da média mundial. O turnover traz maiores gastos de contratação, perda de talentos e funcionários experientes, e maior tempo de treinamento e adaptação.

Por isso, novas abordagens de captação e retenção de bons funcionários vêm ganhando cada vez mais espaço nos holofotes. Neste artigo, explicaremos algumas boas práticas de employer branding que ajudarão você nessa tarefa. Continue lendo para saber mais!

Valorize sua equipe

Segundo a renomada revista Forbes, a falta de reconhecimento é um dos três pilares centrais do turnover: funcionários que se sentem pouco valorizados tendem a procurar por outras empresas, em busca de reconhecimento profissional.

Embora essa valorização pareça uma tarefa secundária, ela cumpre um papel central no employer branding. É importante que o gestor se lembre da congratulação de seus colaboradores, mantendo-os motivados e atrelados à empresa.

Classicamente, existem métodos administrativos utilizados para recordar os gestores dessa tarefa. Talvez o mais conhecido popularmente seja o “funcionário do mês”, que reconhece mensalmente um colaborador de destaque. Além de fornecer uma valorização constante da equipe, ele dá ao administrador um lembrete constante dessa tarefa.

Estimule o aperfeiçoamento de talentos

Outra maneira de fazer com que seus funcionários se sintam valorizados é investindo em treinamento e capacitação. Essa estratégia é uma via de mão dupla, visto que a própria empresa também se beneficia com um colaborador mais especializado.

Algumas estratégias já padronizadas nesse campo são o investimento em cursos ou treinamentos em equipe. Por se tratar de um gasto da empresa com o profissional, é comum que eles venham acompanhados de um termo de compromisso: o funcionário se compromete a continuar na empresa após algum tempo, dando a ela o retorno no investimento. Indiretamente, você está evitando o turnover e otimizando seu employer branding.

Estabeleça bons canais de comunicação

O segundo pilar do turnover é o atrito interpessoal. Em uma empresa, lidamos diariamente com outras pessoas. Divergências de opiniões inevitavelmente ocorrem, e precisamos pensar em maneiras de suavizá-las e resolvê-las.

Na maioria dos casos, esses atritos ocorrem por déficits na comunicação. Atualmente, utilizamos com muito mais frequência a modalidade escrita da língua, por exemplo. Isso leva a mal-entendidos mais frequentes e a distorções no sentido das mensagens, visto que elas não contam com sinais indiretos — como a expressão facial ou o tom da fala.

Quando esses pequenos mal-entendidos se acumulam, eles podem chegar ao extremo de desembocar em um pedido de demissão. Por esse motivo, canais de comunicação eficazes permitem uma válvula de escape constante de falhas de interpretação. Além disso, eles também permitem que as queixas dos funcionários cheguem com maior rapidez à administração, que pode tomar providências.

Incentive a cultura do feedback

Uma atenção especial que devemos ter em se tratando de atrito interpessoal é em relação às críticas. Afinal, ao se trabalhar com metas definidas e um patamar mínimo de produtividade, elas fazem parte do cotidiano. Ou seja, é inevitável ter que lidar com críticas de pares e líderes.

Uma maneira de suavizar o impacto possivelmente negativo das críticas é incentivando uma cultura de feedback na empresa: nesse modelo, todas as etapas do trabalho contam com um pequeno feedback, que exalta os pontos positivos e sugere um ponto de melhoria. Isso evita que os erros se acumulem e tornem o feedback mais severo, suavizando seu impacto nos funcionários.

Alguns gestores também utilizam estratégias de comunicação já consolidadas para fornecer feedbacks. A mais famosa é a “técnica do sanduíche”, que prega que o feedback deve sempre começar pela constatação de um ponto positivo. Em seguida, o gestor se sente mais à vontade para transmitir os pontos negativos e, ao final, deve pontuar outro aspecto positivo.

Seja claro em suas atribuições

O terceiro fator mais impactante do turnover, segundo a Forbes, é a carga excessiva de trabalho. Os administradores tendem a tocar menos nesse assunto porque, se presente, ele parece ser inevitável: se há trabalho a ser feito, não há outra solução que não seja delegá-lo aos colaboradores.

No entanto, há um detalhe que frequentemente passa desapercebido ao gestor. A carga de trabalho excessiva não diz respeito, necessariamente, ao volume ou à intensidade das horas trabalhadas. Em alguns casos, ele resulta de uma discrepância entre a expectativa do funcionário e a realidade. Colaboradores pouco cientes de sua função frequentemente se sentem sobrecarregados no serviço — algo que poderia ser facilmente contornado com uma comunicação clara sobre seu papel na empresa.

Por isso, uma estratégia que parece paradoxal é não criar expectativas irreais quanto à função do funcionário. Isso reduz o turnover porque ele sabe exatamente qual será seu papel e o que a empresa espera dele no cargo. Assim, você evita a discrepância entre expectativa e realidade, que dá a falsa impressão de sobrecarga dos colaboradores.

Ofereça benefícios

Seria impossível terminar este artigo sem citar uma das estratégias mais difundidas do employer branding: a concessão de benefícios. Isso inclui o oferecimento de planos de saúde, tickets alimentação, vales-transportes ou até mesmo de contas em serviços de streaming.

É intuitivo que os benefícios tornam a empresa mais atrativa e auxiliam no desenvolvimento de colaboradores mais engajados. Salientamos, no entanto, que é importante que haja uma gestão de benefícios, para que os custos não superem as vantagens. É importante trabalhar na redução do impacto financeiro desses benefícios, para utilizá-los da melhor maneira possível.

O employer branding é uma maneira de reduzir o turnover de funcionários e aumentar o bem-estar dos colaboradores na empresa. Além de ajudar na contratação de funcionários capacitados, ele também auxilia na retenção de talentos e na redução de custos.

Se você gostou de conhecer as vantagens dessa estratégia, certamente se beneficiará de outras abordagens semelhantes. Conheça as principais tendências de RH e torne sua empresa mais moderna e eficiente!