Engajamento do paciente: saiba como promover de forma eficiente

By 4 de fevereiro de 2020Notícias

Engajamento do paciente

Muito se fala dos avanços tecnológicos na Medicina, melhorando os diagnósticos, procedimentos e terapias. Contudo, para que um tratamento tenha sucesso, é imprescindível o engajamento do paciente.

É necessário que ele se envolva nessa etapa, seguindo a prescrição medicamentosa, realizando os exames e todas as recomendações médicas. Dependendo do caso, é necessária ainda uma mudança no estilo de vida para que a pessoa passe a viver com mais bem-estar.

Portanto, engajar o paciente deve ser uma preocupação da saúde suplementar. Quer entender todas as nuances desse tema e descobrir como promover esse envolvimento de maneira eficiente? Então confira nosso post!

O que é engajamento do paciente?

Em linhas gerais, é o envolvimento do paciente em todo o processo referente a seu cuidado de saúde. Nesse sentido, trata-se desde o compromisso de fazer o check-up médico, incluindo seguir o que foi prescrito nesse acompanhamento, até a preocupação em manter hábitos saudáveis.

O que ocorre é que muitas pessoas só procuram o médico quando estão com alguma dor ou incômodo. Nessas situações, não é raro encontrar aquelas que não seguem exatamente o recomendado na consulta: são pacientes que param de tomar determinada medicação porque se sentem bem, por exemplo, e não terminam o tratamento.

Agora veja como é preocupante imaginar um indivíduo que procure o médico por conta de algum sintoma e seja diagnosticado com alguma doença crônica. Caso não haja o engajamento de fazer o tratamento e até mudar seu estilo de vida, as consequências podem ser graves no médio e longo prazo, aumentando também os custos com a saúde.

Qual é a importância de pacientes engajados?

O paciente engajado vai fazer uma diferença para os custos das empresas de plano de saúde, visto que ele se cuida, ou seja, tem a preocupação com a prevenção em saúde. Dessa maneira, realiza o acompanhamento médico adequado, faz os exames necessários e mantém hábitos de vida saudáveis, como uma alimentação balanceada e a prática regular de exercício físico.

Com usuários engajados, as operadoras de convênio médico reduzem os gastos nos serviços de emergência, de internação e até na quantidade de exames de alto custo. No caso de pacientes crônicos, por exemplo, é possível garantir qualidade de vida, já que a pessoa tem o compromisso de seguir o tratamento e de mudar seu comportamento.

Essa postura do paciente em relação à própria saúde pode ainda ter reflexos positivos nas contas de empresas que oferecem o plano médico a seus funcionários. Nesse caso, os colaboradores passam a utilizar o benefício adequadamente — evitando passar por consultas desnecessárias ou só fazendo o uso do convênio em situações de emergência, e não de maneira preventiva.

Como melhorar esse engajamento?

Deu para perceber que o engajamento do paciente vai ter resultados positivos para os sistemas de saúde. Mas, afinal, como melhorar essa questão? Veja a seguir.

Atendimento centrado no paciente

Para contar com a participação do paciente, é necessário oferecer um atendimento humanizado, centrado não na doença ou problema de saúde, mas sim no indivíduo. Em outras palavras, é a atenção integral, em que o médico vai ouvir todas as queixas da pessoa, o que ela está sentindo, além de considerar seu histórico de saúde e estilo de vida. Com essas informações, ele pode conduzir o tratamento de uma maneira mais adequada.

Relação de confiança entre médico e paciente

Somente depois que se estabelece uma relação de confiança com o médico é que a pessoa se sente mais encorajada a se abrir e também tirar suas dúvidas, ou seja, passa a entender com clareza o que foi prescrito. Com isso, há mais chances de sucesso no tratamento, o que vai evitar a necessidade de intervenções médicas em um curto espaço de tempo.

Atualmente, é preciso considerar que as pessoas têm mais informações sobre procedimentos, exames e medicamentos. Por isso, em muitos casos, preferem discutir com o médico qual é a melhor conduta. Desse modo, é necessário abrir esse espaço para o paciente, respeitando o que ele tem a dizer.

Com a assistência humanizada, a operadora passa a focar na experiência de seu usuário, o que facilita seu engajamento. Nesse aspecto, é interessante ainda abrir novos canais para os pacientes, como um atendimento telefônico ou online, que vai esclarecer as dúvidas de saúde e ainda orientar para que a pessoa procure o serviço mais indicado.

Treinamento das equipes de saúde

Para oferecer essa atenção integral, é necessário que os sistemas de saúde invistam no treinamento para suas equipes. Dessa maneira, é possível padronizar o atendimento mais centrado no paciente — o que propicia não só seu engajamento, mas um diagnóstico mais acertado. É uma forma de evitar a solicitação de exames, muitas vezes, desnecessários, mas que oneram as operadoras.

Em países como Alemanha e EUA, a média anual de realização do exame de ressonância magnética foi de 52 por 1.000 beneficiários, em 2016. Já no Brasil, essa relação foi de 149 por 1.000 usuários. Os dados são de uma pesquisa da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Foco na prevenção

Como dissemos, o engajamento do paciente vai muito além da sala de consulta, pois está associado à sua preocupação com os cuidados de saúde de uma forma global. Nesse contexto, é viável investir em programas focados na prevenção da saúde, que possam mudar comportamentos e melhorar a qualidade de vida. São estratégias que vão:

  • combater o tabagismo;
  • reduzir o estresse;
  • fazer o controle do peso;
  • incentivar uma alimentação saudável;
  • controlar a hipertensão e outras doenças crônicas.

Uso da tecnologia

Por último, um recurso importante para engajar o paciente é a tecnologia. Podemos destacar o uso de aplicativos, como o da Sharecare. Trata-se de uma solução interativa que funciona a partir de perfis individuais de saúde. Com ele, o usuário acessa, de maneira prática, suas informações de saúde — como seu histórico, programas de prevenção personalizados, serviços de saúde disponíveis e conteúdos educativos.

Com isso, a empresa oferece uma experiência diferenciada e ainda pode acompanhar os relatórios populacionais que identificam riscos e apontam o comportamento do usuário.

Para otimizar o atendimento, reduzir custos e ainda oferecer um serviço de melhor qualidade a seus usuários, as empresas de plano de saúde devem trabalhar para conquistar o engajamento do paciente. Um dos caminhos é, sem dúvida, contar com uma consultoria em gestão de saúde e investir em tecnologias personalizadas.

Achou interessante o conteúdo que apresentamos neste post? Então fique por dentro das soluções Sharecare para engajar os pacientes e reduzir os custos!