Entenda a importância da gestão para operadoras de saúde

By 25 de outubro de 2019Notícias

O cuidado com a saúde e o bem-estar da população é um serviço essencial e, consequentemente, traz consigo uma série de oportunidades. Entretanto, distribuir os recursos disponíveis e garantir a qualidade do atendimento pode ser uma tarefa desafiadora. Nesse sentido, é importante adotar as melhores práticas de gestão para operadoras de saúde.

Para dar o primeiro passo, no entanto, é preciso conhecer bem o cenário em questão. Afinal, quais são os gargalos desse setor? Como uma gestão eficiente ajuda a eliminá-los? O que fazer para conquistar resultados melhores?

Se quer saber as respostas para essas e outras perguntas, continue a leitura!

As 3 principais causas de gargalos no dia a dia das operadoras de plano de saúde

O oferecimento de planos de saúde funciona com uma lógica bastante peculiar, da mesma forma que os seguros. Em geral, o grande desafio é criar previsões sobre quais serão as necessidades da população e, a partir disso, elaborar uma estratégia de atendimento otimizada. Ainda assim, alguns gargalos tendem a aparecer.

Veja a seguir os principais motivos para que eles apareçam.

1. Muita liberdade de escolha para o usuário

Um dos principais problemas da rede de saúde é a adoção de um modelo que busca ter uma ampla variedade de serviços: atendimento médico, pronto-socorro, hospital etc. Com isso, as operadoras acabam deixando para o usuário a responsabilidade pela escolha da rede e das formas de atendimento. E esse é, sem dúvidas, o maior causador de gargalos na gestão dos planos.

Isso gera a necessidade de ter à disposição do usuário uma variedade muito grande de serviços que, em sua maioria, ele não vai usar. É muito mais eficiente investir em uma atenção focada, com acompanhamento individual e programas de prevenção nos moldes adotados por outros países.

2. Falta de registro histórico de pacientes

Um modelo que dá a liberdade de o paciente ir diretamente a quaisquer especialistas gera um gargalo enorme no atendimento, justamente por não ter informações registradas sobre a demanda de cada pessoa. Diversos países já adotam estratégias mais eficientes. Um delas é contar com uma rede de atenção primária, que oferece um médico de referência para uma pessoa ou família, sendo ele a porta para eventuais encaminhamentos.

Se for necessário ir a um segundo nível de atendimento, é feito um acompanhamento completo daquele paciente, para que eventuais problemas sejam identificados com antecedência.

3. Desperdício

O desperdício, na gestão das operadoras de saúde, é resultado da mesma necessidade de disponibilizar muitos profissionais para uma demanda que, mesmo que não seja baixa, geralmente se concentra em poucas áreas. Certas áreas de atendimento ficam sobrecarregadas, gerando um gargalo, enquanto outras são pouco acessadas.

O que fazer, então, para tornar o uso coletivo dos recursos mais otimizado? É o que veremos a seguir.

A gestão para operadoras de saúde

Sempre que uma atividade é submetida a um processo de gestão, o objetivo deve ser organizar as ações, para que um determinado objetivo seja alcançado. Em geral, isso envolve também a otimização da execução e dos resultados desse trabalho. O cenário ideal seria um serviço de alta qualidade com baixo custo.

No caso da gestão para operadoras de saúde, algumas práticas podem ajudar.

Estratégia de gestão

Adotar uma estratégia significa definir quais são os objetivos a serem alcançados e a forma como isso será feito. No caso dos planos de saúde, é preciso pensar exatamente o que o serviço deve oferecer. Afinal, mesmo que o objetivo final seja garantir o atendimento que aquela população precisa, isso não significa que o único caminho seja disponibilizar profissionais das áreas mais variadas para atendê-los a qualquer momento.

A emergência, por exemplo, tem suas particularidades. Entretanto, é comum que haja um grande volume de pessoas acessando esse serviço para resolver questões que poderiam ser facilmente solucionadas por telefone. Um levantamento interno da Sharecare mostra, por exemplo que de 70% a 80% dos problemas relatados em ligações recebidas pela central 24 horas podem ser solucionados já pelo telefone.

Nesse caso, é perceptível que um trabalho de prevenção pode ser mais produtivo do que esperar que as pessoas se encaminhem até a emergência. Ou seja, é uma questão estratégica de dar mais foco ao acompanhamento e à conscientização.

Uso da tecnologia

Na era da transformação digital, não há motivo para não colocar a tecnologia para trabalhar a favor da sua gestão. O atendimento telefônico é apenas uma parte disso. Uma solução digital de gestão, por exemplo, permite monitorar tanto individualmente quanto coletivamente os segurados.

Mesmo em nível empresarial, o software permite acompanhar mais de perto a população e criar ações preventivas para reduzir a demanda, antes mesmo que ela chegue de fato aos hospitais.

Entretanto, ter sucesso nessa iniciativa é mais fácil quando contamos com especialistas no assunto.

Como a Sharecare pode ajudar

A Sharecare é uma empresa multinacional que desenvolve e implementa soluções para a gestão de saúde populacional. Com conhecimento e experiência no ramo, seu objetivo é reduzir o custo e a sinistralidade dos planos, algo que muitas vezes envolve a adoção de uma estratégia mais eficiente de administração dos serviços.

Um dos diferenciais da Sharecare, por exemplo, é seu trabalho de monitoramento de condições e patologias específicas na população. Dependendo do risco de saúde que determinada pessoa tem, uma iniciativa diferente pode ser aplicada.

Em uma população que pode chegar a dezenas ou centenas de milhares de pessoas, isso é fundamental. A Sharecare tem uma equipe multidisciplinar capaz de monitorar, por exemplo, os níveis de diabetes de uma pessoa e dar orientações de mudança de comportamento para evitar que o problema se desenvolva.

A central de atendimento 24 horas é outro diferencial. Com ela, a taxa de atendimentos presenciais tende a cair, reduzindo os gargalos no pronto-socorro e na própria clínica. Em pouco tempo, o uso dos planos de saúde é direcionado ao que é estritamente necessário, deixando para trás o desperdício de recursos que impacta financeiramente a operadora.

São diferenciais que fazem da Sharecare uma parceira extremamente valiosa. As estratégias de gestão para operadoras de saúde são o pilar básico da eficiência operacional nos serviços. Portanto, vale a pena repensar seus processos administrativos e colocar a tecnologia e nossos especialistas para trabalhar a seu favor!

Quer conhecer melhor nosso trabalho? Entre em contato com a Sharecare e fale com quem mais entende de gestão de saúde populacional!

Leave a Reply