O que é o distanciamento social e como ele pode ajudar a impedir a propagação do COVID-19?

By 25 de março de 2020Covid 19, Notícias

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou oficialmente o coronavírus uma pandemia global, todos fomos bombardeados com uma enxurrada de más notícias: eventos foram adiados para o segundo semestre de 2020, escolas estão adiantando as férias de alunos e professores, frotas de ônibus estão circulando com capacidade reduzida e fronteiras estão sendo fechadas. Todos esses acontecimentos iniciaram após as autoridades de saúde pedirem a todos para ficar em casa e praticar o “distanciamento social”. Mas o que isso significa exatamente?

Distanciamento social definido

O COVID-19 é uma infecção respiratória viral altamente contagiosa que, como a gripe, se espalha de pessoa para pessoa por contato direto ou transmissão de gotículas.

A transmissão de contato acontece quando há exposição direta a alguém que está doente. Isso inclui apertar as mãos, abraçar ou beijar. Também pode ocorrer quando pessoas tocam uma superfície contaminada e depois levam as mãos à boca, nariz ou olhos.

Aqueles que estão doentes também podem infectar outras pessoas quando gotas contaminadas da tosse ou de espirros entram em contato com a boca ou o nariz de uma pessoa próxima. As gotículas podem viajar cerca de um metro e oitenta antes de se estabelecerem em uma superfície próxima, onde podem persistir por horas ou, para alguns vírus, até dias.

Portanto, um dos passos que as pessoas podem tomar para ajudar a coibir a disseminação do COVID-19 é praticar o distanciamento social, ou “permanecer fora do ambiente de congregação”, evitando reuniões em massa e mantendo distância (de aproximadamente 1 metro e meio) dos outros.

Essas medidas devem ser tomadas junto com outras iniciativas de prevenção, como lavar frequente das mãos, não tocar o rosto com as mãos sem estarem higienizadas, ficar em casa quando estiver doente, evitar a exposição a pessoas doentes e cobrir tosses e espirros.

Por que o distanciamento é tão importante

O distanciamento social não se destina apenas a reduzir o número total de pessoas infectadas pelo COVID-19, mas também a diminuir sua propagação, o que pode salvar vidas.

Marc Lipsitch, epidemiologista de doenças infecciosas e microbiologista da Universidade de Harvard, twittou que é “plausível” que 20 a 60% dos adultos sejam infectados com COVID-19.

Até agora, a maioria das pessoas infectadas melhora por conta própria. Apenas cerca de 16% dos casos resultam em doenças e complicações graves, como pneumonia e problemas respiratórios. Ainda menos, cerca de 5%, desenvolvem problemas muito sérios, incluindo insuficiência respiratória, choque séptico e falência de órgãos.

Mas a contagem de casos confirmados continua a subir e o número de casos graves ou fatais também aumenta.

Se hospitais e centros de urgência e emergência ficarem sobrecarregados com um grande volume de pacientes, os cuidados prestados àqueles já doentes ou com complicações graves podem ser comprometidos. Pode haver escassez de suprimentos médicos essenciais, ventiladores e outros equipamentos que salvam vidas.

Na Itália, por exemplo, a escassez de suprimentos e leitos hospitalares está forçando os profissionais de saúde a escolher quais pacientes salvar.

Em suma, o distanciamento social pode ajudar a retardar a propagação da infecção, para que funcionários públicos e profissionais de saúde tenham tempo hábil para responder efetivamente à situação em desenvolvimento.

O que você pode fazer

Além do cancelamento de eventos e reuniões, há outras coisas que você pode fazer para ajudar a proteger a si, seus entes queridos e sua comunidade.

Muitas empresas de transporte terrestre e companhia aéreas reduziram a circulação de suas frotas. Por isso, viagens que não sejam essenciais devem ser canceladas. Se você está se perguntando se deve ou não sair da cidade avalie os riscos e benefícios de sua decisão. Mesmo que encontre transporte, estar em um ônibus ou avião com outros passageiros ou ainda em locais lotados e fechados aumenta o risco de infecção, principalmente se a ventilação for fraca.

Lembre-se: não é apenas sobre você. É também sobre espalhar a infecção para outras pessoas, incluindo aquelas que podem estar em maior risco de complicações.

Outras maneiras de praticar o distanciamento social incluem trabalhar em casa, isolar-se imediatamente e avisar seu médico e o RH da sua empresa se desenvolver sintomas como tosse seca, febre e fadiga, ou se suspeitar estar infectado.

Ao ir para um hospital ou pronto-socorro informe prontamente à equipe médica que você está tendo sintomas que acredita serem devidos ao COVID-19. Uma vez avisados a equipe de saúde local te isolará e determinará se você precisa fazer o teste.

Revisado clinicamente em março de 2020.

Fontes:

Centro de Controle e Prevenção de Doenças – CDC. “Diretrizes interinas para avaliação de risco e gerenciamento de saúde pública de pessoas com potencial doença coronavírus 2019 (COVID-19): Exposição: risco geográfico e contatos de casos confirmados em laboratório.”

Centro de Controle e Prevenção de Doenças – CDC. “Impedindo a disseminação do COVID-19 nas comunidades.”

Centro de Controle e Prevenção de Doenças – CDC. “Transcrição para a atualização de telebriefing do CDC no COVID-19”.