Saúde no trabalho: conheça 5 práticas que precisam ser adotadas

By 7 de outubro de 2019Notícias

saúde no trabalho

Alcançar uma boa produtividade no ambiente corporativo é, sem dúvida, um dos objetivos mais comuns dentro das empresas. Para isso, investir na saúde no trabalho pode ser uma das estratégias mais promissoras a ser adotada por organizações que buscam compor um ambiente saudável, produtivo e que preza pela valorização dos profissionais.

Hoje, saúde e bem-estar são pilares para a qualificação do ambiente interno de organizações, servindo de base para o estímulo de práticas ligadas à saúde física e mental, principalmente. Nesse cenário, líderes e gestores já perceberam o quão importante é cuidar da saúde dos colaboradores para se promover aumento da produtividade, redução do absenteísmo, retenção de talentos e melhoria da qualidade de vida dos profissionais.

No dia a dia de uma empresa, a saúde no trabalho pode ser garantida de diferentes formas. Para comprovar isso, hoje vamos mostrar a você 5 práticas que precisam ser adotadas para reforçar esse atributo de forma simples e eficiente. Continue a leitura e confira!

1. Aposte em uma gestão de saúde eficiente

O ponto de partida para se melhorar a saúde do trabalho dentro de uma empresa é investir na gestão desse quesito internamente. Aqui, a gestão à qual nos referimos está relacionada a todas as atividades voltadas ao acompanhamento do ambiente de trabalho e que são essenciais para se identificar possíveis riscos, pontos de atenção e processos que podem drenar a saúde física ou mental dos profissionais.

Desenvolvendo uma análise interna contínua no ambiente, por exemplo, é possível entender melhor o impacto de cada atividade sobre a saúde e motivação do colaborador, além de ser a chave para que a empresa identifique processos que podem ser otimizados, automatizados ou substituídos.

2. Trabalhe em uma cultura alinhada com o que a empresa preza

A saúde no trabalho passa pelo desenvolvimento de uma verdadeira cultura interna. Ou seja, profissionais, líderes e gestores precisam trabalhar sempre com ideias claras de promoção da saúde e bem-estar, preocupando-se com todas as questões que envolvam esse tema dentro do ambiente.

Essa cultura será o norte para todas as atividades dentro do negócio. Das ações mais simples até as mais complexas, haverá sempre uma preocupação em se avaliar as condições de trabalho dos membros da empresa, o nível de satisfação interno e a motivação.

Além disso, os valores mais importantes pregados por qualquer organização, como valorização e respeito aos seus recursos humanos, serão reforçados com a criação de um ambiente pautado em atributos importantes, como:

  • prevenção de riscos;
  • respeito à jornada de trabalho;
  • redução do estresse e pressão durante as atividades;
  • fixação de metas reais e alcançáveis, entre outros.

3. Realize campanhas preventivas e educacionais

A promoção da saúde no trabalho é um processo gradativo, de modo que precisa ser reforçado diariamente. Cada membro da empresa precisa entender a importância desse tema e, mais ainda, saber o que pode ser feito para que consiga estruturar um ambiente saudável.

Nesse sentido, é fundamental que gestores e líderes invistam sempre em campanhas educativas com o objetivo de instruir e reforçar a importância de se adotar hábitos saudáveis dentro da empresa. No mais, essas campanhas podem servir de base para ações de prevenção de acidentes, doenças ocupacionais e outras questões que possam afetar a saúde do colaborador.

A depender do ramo de atuação da empresa, esse tipo de cuidado deve ser ainda mais intenso, já que existem segmentos em que a exposição a fatores de risco é ainda maior — como na indústria química, farmacêutica e metalúrgica —, exigindo ações mais incisivas para minimizar os seus efeitos principalmente sobre o corpo de cada profissional.

Abrimos um parêntese para deixar claro que essas campanhas podem ser realizadas de diferentes formas. A exemplo, pode-se adotar medidas como:

  • criar materiais educativos para distribuição e fixação em locais estratégicos, inclusive em meios digitais;
  • trabalhar o tema a partir de dados estatísticos levantados por meio da leitura de registros de afastamento de funcionário, recorrência de uso de planos de saúde, especialidades médicas mais utilizadas etc.;

É importante frisar que as ações de prevenção devem ser objetivas e sempre direcionadas. Por isso, trabalhar de forma integrada com operadores de planos de saúde ajuda a empresa a ter acesso a dados importantes para avaliar quais os problemas de saúde mais comuns, quais as principais causas de afastamentos e outras informações do gênero.

4. Tenha uma equipe especialmente envolvida nesse processo

Os impactos do trabalho sobre a saúde do trabalhador podem ser bastante significativos, a depender do tipo de atividade. Por isso, estamos falando de um assunto sério, que afeta não apenas a produtividade do profissional ou de uma empresa, mas principalmente a qualidade de vida de uma pessoa. Para se ter ideia da relação existente entre saúde e produtividade, um estudo realizado pelo Serviço Social da Indústria (SESI), entre outubro de 2015 e fevereiro de 2017, no qual foram consultadas 500 empresas de médio e grande porte, ajuda a ter uma compreensão mais ampla sobre o tema.

Nesse estudo, alguns dados são bastante esclarecedores:

  • 71,6% das empresas entrevistadas afirmam que se preocupam com a saúde dos trabalhadores;
  • 76,4% acredita que a atenção com saúde deve aumentar nos próximos 5 anos, sendo que 13,2% crê que ela deve aumentar muito;
  • 48% dos entrevistados já aplicam medidas voltadas à promoção da saúde no trabalho e assim reduzir as faltas por esse motivo;
  • 43,6% perceberam que ações dessa natureza conseguem proporcionar maior produtividade no chão de fábrica;
  • 34,8% acredita que ações de saúde são fatores determinantes para a redução de custos;
  • 84% das empresas avaliam os aspectos ergonômicos;
  • 87,8% das indústrias realizam a gestão do afastamento por doença;
  • grandes empresas são as que mais priorizam a saúde dos trabalhadores, sendo que 36% delas possuem uma preocupação muito alta. Em meio às médias empresas, 20,4% possuem o mesmo grau de preocupação.

Nesse cenário, fica claro que é necessário tratar a saúde no trabalho com seriedade e profissionalismo, indo em busca de alternativas realmente efetivas para se promover melhorias nesse quesito em ambientes corporativos. Assim, uma recomendação que deve ser seguida é contar com uma equipe especialmente desenvolvida para auxiliar nesse processo.

Ou seja, a empresa precisa contar com o apoio de profissionais especializados na gestão de saúde. Uma equipe focada nesse aspecto tem condições de avaliar com muito mais profundidade as necessidades da empresa, além de utilizar dados estatísticos, boas práticas e fatores científicos para trazer a saúde laboral para dentro do ambiente.

Além do mais, agindo assim, fica mais fácil dar ênfase nos pontos mais importantes para se melhorar a qualidade de vida dos profissionais, já que estamos falando de um auxílio especializado.

5. Desenvolva hábitos saudáveis

Passar horas diante de um computador é uma rotina que se repete na realidade da maior parte dos profissionais e empresas pelo mundo. À medida que o mundo se torna mais digital, piores os hábitos relacionados às atividades físicas vão se tornando — pelo menos dentro das empresas.

Nesse cenário, é essencial desenvolver uma cultura baseada em hábitos saudáveis. Para isso, o ponto de partida deve ser o entendimento do cenário interno da empresa, considerando os riscos mais comuns, os motivos mais frequentes de afastamento e acionamento do plano de saúde. Os dados estatísticos são a base para a criação de políticas mais objetivas e eficientes, o que encurta o tempo de resposta das ações.

Indo além, pode-se investir na adoção do trabalho home office, postura que pode minimizar bastante o desgaste emocional dos funcionários, especialmente nas grandes cidades, em que é comum perder horas do dia se deslocando de um ponto a outro. Uma pesquisa realizada pelo MindMetre Research a pedido do International Workplace Group (IWG) consultou 18 mil pessoas, em 96 países, e constatou que 77% dos brasileiros entrevistados acreditam que o home office oferece maior qualidade de vida.

Por fim, otimizar a saúde no trabalho, como vimos, é um exercício diário. Esse tipo de melhoria é fruto de pequenas mudanças de hábitos, mas que com o passar do tempo trazem efeitos bastante positivos tanto para o profissional quanto para a empresa. Desse modo, investir nesse atributo, hoje, é uma verdadeira necessidade, além de ser o caminho mais promissor para se criar equipes produtivas e motivadas e para se reduzir os custos que doenças ocupacionais e outros problemas de saúde podem ocasionar a um negócio.

Então, o que achou do texto? Acredita que essas dicas podem realmente melhorar a saúde no trabalho? Aproveite para compartilhar este artigo nas suas redes sociais e difundir essas informações!

Leave a Reply