Prevenção da hipertensão: como investir nessa prática na empresa?

30 de julho de 2021

A pressão alta — formalmente conhecida como Hipertensão Arterial Sistêmica, ou HAS — constitui um problema relevante, que acomete 24,7% da população brasileira.

Apesar de ser uma doença silenciosa (ou seja, com poucos sintomas ou nenhum), ela é fator de risco para outros problemas de saúde e complicações. Por esse motivo, a prevenção da hipertensão é um tema que vem ganhando cada vez mais destaque.

A hipertensão é caracterizada pela persistência de valores pressóricos acima de 130/80mmHg. Quando a Pressão Arterial (PA) aumenta, existe maior risco de ruptura de vasos, além de aumento da sobrecarga no coração, que é o responsável por suprir a demanda de sangue no corpo.

A seguir, falaremos sobre como as empresas podem criar medidas para a prevenção contra a hipertensão no ambiente de trabalho. Continue com a leitura para saber mais!

Quais são as principais causas da hipertensão?

A hipertensão é considerada uma doença multifatorial, ou seja, dependente de múltiplos fatores de risco para se desenvolver. Sabemos, no entanto, que o estilo de vida e o ambiente onde a pessoa está inserida pode levar ao agravamento da doença. Por esse motivo, é importante que as pessoas estejam bem informadas sobre a importância do cuidado e prevenção contra a HAS no ambiente de trabalho.

Geralmente, durante a rotina de trabalho, os funcionários passam por situações estressantes, que favorecem o desgaste físico e emocional. Podem contribuir para o aumento da pressão, por exemplo, as cobranças excessivas de metas, altas cargas horárias laborais e exposições a ruídos.

No entanto, o ambiente laboral não é o único vilão da história: hábitos de vida e medidas pessoais também influenciam no descontrole da PA — e, por impactarem nos gastos de saúde, também devem ser alvo das medidas preventivas adotadas nas empresas. A seguir, falaremos de três dos principais hábitos que contribuem para esse problema. Confira.

Estresse

O estresse é um mecanismo natural do corpo, que objetiva nos deixar preparados para enfrentar desafios e problemas. Apesar de natural, no entanto, quando ele se torna excessivo, os problemas podem superar os benefícios. Isso ocorre porque o estresse estimula a liberação de um hormônio chamado cortisol — que, dentre outras funções, também aumenta a Pressão Arterial.

Por esse motivo, o estresse é um fator de risco para diversas doenças no nosso corpo, incluindo a hipertensão. Daí a importância de que o trabalhador tenha momentos de relaxamento, como a prática de atividades físicas, uma boa noite de sono e a reserva de um tempo para o lazer.

Sedentarismo

As jornadas de trabalho muitas vezes ocupam grande parte do tempo dos funcionários, reduzindo o espaço das atividades físicas. Além disso, o crescimento da tecnologia também contribui para que trabalhemos a maior parte do tempo sentados, minimizando os exercícios ao longo do dia. Todos esses fatores contribuem para o sedentarismo, um problema crescente no século XXI.

O tema é tão relevante que a própria Sociedade Brasileira de Hipertensão defende a realização de atividades físicas para a redução da Pressão Arterial. A prática regular de exercícios físicos pode reduzir a PA, tanto na pessoa que já é hipertensa quanto naquela que tem predisposição para desenvolver a doença.

Vale ressaltar também que a prática regular de atividades físicas, além de reduzir a pressão, diminui a gordura corporal. Esta, por sua vez, é outro fator de risco para o aumento da Pressão Arterial e outras doenças cardiovasculares, como o infarto do miocárdio e a diabetes.

Alimentação desequilibrada

Na correria do dia a dia no ambiente de trabalho, é comum que os funcionários descuidem das refeições saudáveis. Com isso, eles dão preferência a alimentos industrializados, pois esses já vêm prontos para o consumo.

Esse é um importante fator de risco para a hipertensão. Os fast foods contêm alimentos altamente calóricos, que podem levar à obesidade e ao acúmulo de sódio, outro fator importante para o aumento da PA.

Como as empresas podem ajudar na prevenção da hipertensão?

A prevenção da hipertensão, atualmente, não é de interesse apenas do indivíduo. Em muitos casos, as empresas também sofrem com os efeitos deletérios da doença — por exemplo, arcando com um aumento na sinistralidade e perdendo dias de trabalho por motivo de doença.

No geral, o profissional passa grande parte de seu tempo no ambiente laboral; isso torna as empresas perfeitos agentes de mudança para ajudar no aprendizado de estilos de vida mais saudáveis e a adoção de medidas preventivas contra a HAS.

A seguir, confira três medidas que as empresas podem tomar para a prevenção da hipertensão de seus colaboradores.

Medicina preventiva

A medicina clássica se baseia no tratamento das doenças, atuando apenas após o seu desenvolvimento. Na medicina preventiva, esse paradigma é invertido: com ela, buscamos atuar antes que a doença se instale, prevenindo complicações e atuando precocemente no seu controle.

O primeiro passo da medicina preventiva é a realização de uma avaliação criteriosa da saúde dos colaboradores. Por isso, a realização de exames clínicos e complementares é essencial para ter uma visão mais ampla sobre a saúde da equipe de trabalho. A partir daí, conseguimos verificar quais funcionários têm maior risco de desenvolver hipertensão e atuar especificamente nesses grupos.

Atenção primária

Na empresa, a atenção primária é um atendimento personalizado que orienta os colaboradores a praticarem hábitos saudáveis. Além de atendimentos preventivos, as ações em saúde realizadas pela empresa podem diminuir as idas do funcionário ao pronto-atendimento ou a consultas com especialistas (que, no geral, são mais custosas).

De acordo com Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), até 85% dos problemas de saúde de seus colaboradores podem ser evitados. Daí a importância de adotar sistemas de atenção primária próprios, que consigam triar os casos mais complexos e resolver aqueles que não demandam atenção especializada.

Hábitos saudáveis

O estímulo de hábitos mais saudáveis é uma tendência no ambiente de trabalho, já que o bem-estar dos colaboradores interfere diretamente na produtividade. Praticar atividades físicas, ter uma boa noite de sono e manter uma alimentação equilibrada pode tornar a pessoa mais resistente a diversas doenças.

De acordo com estudos de Brigham Young, nos Estados Unidos, 66% dos colaboradores que têm uma alimentação inadequada apresentam queda de produtividade. É importante salientar que, com ações simples, as empresas conseguem estimular hábitos mais saudáveis dentro e fora do ambiente de trabalho.

Quais são os benefícios das medidas para a prevenção da hipertensão?

Como a hipertensão arterial é uma doença silenciosa, as ações de prevenção são de suma importância para o ambiente corporativo. Quando a doença se manifesta em um grau mais avançado, ela pode ocasionar problemas ainda mais graves do que somente a HAS.

Alguns índices que podem ser otimizados com os programas de prevenção incluem o aumento da satisfação no trabalho, a redução do absenteísmo e um maior engajamento dos colaboradores. Além disso, conseguimos reduzir a sinistralidade do plano de saúde e enxugar gastos com essa área — cujo investimento vem sendo cada vez maior nos últimos anos.

Usando as medidas para a prevenção da hipertensão, podemos prevenir ou retardar o desenvolvimento da doença. Nesse sentido, a melhor forma de enfrentar o problema é criar programas de saúde para as doenças crônicas no trabalho, com foco na prevenção e na atenção primária.

Gostou de saber como prevenir sua equipe contra a hipertensão? Então, siga nossas páginas no Facebook, Instagram e LinkedIn para estar sempre com informações atualizadas sobre o assunto!