Saúde digital: como dar o próximo passo na sua empresa?

23 de abril de 2021

Saúde digital

A saúde e a tecnologia nunca estiveram tão entrelaçadas. O uso de recursos digitais na assistência e gestão da saúde conseguiu levar a área a um novo patamar, tanto no Brasil quanto no mundo. Ao contexto do uso holístico da tecnologia na medicina damos o nome de saúde digital.

Embora pareça um conceito futurístico pensar na adoção da saúde digital, ela já faz parte de grande parte das empresas no Brasil. Sua popularização está associada a uma gestão de saúde mais eficaz, à redução da sinistralidade dos planos e à redução de absenteísmo e prejuízos na área; ao que tudo indica, a relação entre tecnologia e saúde tende apenas a se intensificar.

Neste post, você conhecerá o conceito de saúde digital, saberá quais os seus benefícios e como incorporá-la mais profundamente em sua empresa. Continue lendo para saber mais.

Quais são os benefícios da saúde digital?

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a saúde digital tem o potencial de revolucionar nossa assistência à saúde. No entanto, para ser eficaz, ela deve estar associada a outros serviços, como o monitoramento da saúde da população e a promoção da saúde.

Como qualquer investimento, a saúde digital apresenta seus custos e benefícios. Levá-los em consideração ajuda no cálculo do retorno sobre investimento e na avaliação sobre a viabilidade da digitalização da saúde. Confira, a seguir, alguns benefícios dessa tendência.

Automação de processos

A saúde é uma área que intrinsecamente demanda processos padronizados constantes, especialmente quando concedida como um benefício aos funcionários. Além dos processos internos, da própria empresa, também são necessários formulários e documentos no contato com a operadora do plano de saúde.

Nesse sentido, o fluxo de processos da saúde é uma demanda constante em todas as empresas que a oferecem. A tecnologia auxilia na padronização desses processos e em sua automação, centralizando informações, reduzindo o retrabalho e evitando o erro humano.

Um exemplo clássico da automação de processos na saúde é visto na solicitação de exames de alto custo, procedimentos cirúrgicos ou internações. Por se tratar de serviços mais custosos, eles frequentemente demandam mais informações e vias padronizadas de solicitação. A tecnologia atua no cruzamento e preenchimento automático de dados e na solicitação online desses serviços, facilitando o fluxo de trabalho na saúde.

Comodidade

Além do benefício financeiro e logístico da saúde digital, é inegável que também seja um investimento na comodidade do serviço. Com seu auxílio — especialmente na automatização de tarefas —, a equipe fica livre para focar na assistência e demais tarefas técnicas. A médio e longo prazo, o investimento se converte em aumento de produtividade e no employer branding da empresa.

Para os beneficiários, não é diferente. A saúde digital torna o serviço mais atrativo e funcional, facilitando marcação de consultas, liberação de procedimentos e resultados de exames. É desejo tanto das empresas quanto das operadoras facilitar o contato do paciente com o serviço de saúde, que é visto como mais profissional e moderno.

Auxílio e monitoramento do paciente

Especialmente no contexto da pandemia da Covid-19, o monitoramento remoto e a conscientização dos pacientes ganharam um espaço considerável nos holofotes. Cada vez mais, a demanda pelo serviço médico fora das unidades de saúde se torna evidente. E a saúde digital é essencial para supri-la.

Atualmente, conseguimos realizar esse monitoramento com diversas vias digitais, como aplicativos, websites e até no WhatsApp. Além de um contato facilitado com o paciente, a tecnologia permite a obtenção de dados vitais de maneira simples — como a aferição automática da pressão arterial ou o acompanhamento estreito da glicemia capilar.

Esses dados fornecem ao médico e à gestão de saúde dados mais acurados e frequentes sobre a saúde do paciente. O ajuste de medicamentos e o acompanhamento de doenças crônicas consegue ser eficaz e, consequentemente, podemos prevenir complicações e exacerbações das doenças.

Em quais tecnologias investir para aliar as demandas dos funcionários e as expectativas da empresa?

Basta uma pesquisa rápida de mercado para perceber que, na prática, existe um leque amplo de possibilidades para a saúde digital. No entanto, para tomar as melhores decisões, é preciso conhecer as soluções que são tendência no mercado atual. Confira algumas delas a seguir.

Big Data

O manejo de um grande volume de dados é mais fácil na teoria do que na prática. As possibilidades de coleta de dados na saúde são acompanhadas por uma demanda crescente nas maneiras de lidar com esses dados — o que demanda melhores computadores, técnicas de gestão de dados e acompanhamento de métricas.

Para esse serviço, há um ramo específico da ciência de dados: o Big Data. Com suas soluções, conseguimos tratar e analisar um grande volume de dados, extraindo informações relevantes para o gestor. Com o crescimento das possibilidades de coleta e armazenamento de dados, a demanda pelo Big Data tende a crescer proporcionalmente.

Chatbots

Em qualquer área do empreendedorismo, a interface de contato com clientes e beneficiários é uma preocupação rotineira. Na saúde, não é diferente: queremos que o atendimento seja adequadamente resolutivo e eficaz, especialmente nos meios digitais.

Nessa tarefa, os chatbots se tornaram uma tendência de mercado. Utilizando a inteligência artificial, eles categorizam e direcionam as queixas e perguntas do beneficiário, retornando a melhor solução para as suas demandas. Além de serem mais resolutivos, eles economizam recursos humanos e evitam erros no serviço de atendimento ao paciente.

Telemedicina

Antes considerada um serviço futurístico, a telemedicina já foi aprovada no Brasil para uso durante a emergência pública. A tendência é que ela continue a ser utilizada no período pós-pandemia, devido à sua praticidade e à capilaridade dos serviços assistenciais para a população.

Aplicativos

O uso de aplicativos na saúde é uma maneira de aproximar o serviço de seus beneficiários. Com eles, o acesso à rede assistencial é obtido com um toque no smartphone, evitando grandes esforços do paciente para ser atendido.

Embora esse tópico seja amplo por si só, algumas soluções ganham destaque no mercado. Um exemplo são as tecnologias de atendimento remoto, que auxiliam na triagem dos colaboradores, na solução de dúvidas e no direcionamento do fluxo do serviço.

Na Sharecare, oferecemos uma central de atendimento organizada por médicos e enfermeiros que funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana. Com o Ligue Saúde, os beneficiários conseguem sanar suas dúvidas em relação à saúde sem precisar sair de casa. Além de ser uma solução confortável, ela evita a superlotação de postos de pronto-atendimento e o superdiagnóstico nessas unidades.

A saúde digital só tende a crescer nas empresas. Além de ser mais cômoda para profissionais da área e funcionários, ela traz benefícios próprios à gestão privada de saúde, como a redução do preço das sinistralidades.

Se você quer ficar sempre por dentro das inovações tecnológicas na saúde, não perca tempo e siga a Sharecare no LinkedIn! Estamos sempre trazendo o que há de mais moderno na área por lá.