Transtornos emocionais no trabalho: entenda o papel da empresa

15 de outubro de 2021
transtornos emocionais

Além de trazer impactos negativos para o bem-estar das pessoas, os transtornos emocionais como depressão, síndrome de burnout e ansiedade geram reflexos na vida profissional. Para que você tenha uma ideia, uma pesquisa conduzida pela London School Economics e divulgada pela revista Exame indica que o Brasil perde anualmente 78 bilhões de Dólares devido à queda de produtividade causada pela depressão. 

Isso porque essa é uma das principais causas do absenteísmo: de acordo com dados do Ministério da Previdência Social, doenças relacionadas à sobrecarga mental e a riscos ergonômicos representam mais de 40% dos afastamentos de trabalho, tendo superado fatores como acidentes e fraturas. 

Por esses motivos, a saúde mental dos trabalhadores deve ser uma prioridade. Neste post, explicamos melhor como os transtornos emocionais se manifestam no trabalho e como a empresa pode prevenir e lidar com essas ocorrências da melhor forma. Continue a leitura e confira!

Como a pandemia reforçou a importância do diálogo sobre saúde mental?

Estresse excessivo, clima organizacional negativo e acúmulo de funções são alguns dos aspectos que podem levar a transtornos emocionais associados ao ambiente de trabalho. Além disso, o próprio ritmo acelerado da sociedade, maus hábitos, questões da vida pessoal e, sobretudo, a pandemia de Covid-19 tornam problemas de saúde mental cada vez mais comuns.

De acordo com um estudo realizado pela Fiocruz em 2020, mais de 40% dos brasileiros relataram se sentir tristes ou deprimidos com frequência ou a maior parte do tempo durante a pandemia. Além disso, quase 44% dos participantes do estudo disseram ter começado a ter problemas de sono e 50% têm sensação frequente de ansiedade e nervosismo.

Entre os fatores que mais têm contribuído com esse aumento de transtornos emocionais na pandemia estão o isolamento social, a perda de conhecidos e membros da família e as mudanças no ambiente de trabalho, como a adaptação para o home office, a falta de interação com colegas e a insegurança frente a uma crise que leva muitas empresas a cortar pessoal.

Como os transtornos emocionais podem se manifestar nos colaboradores?

Abaixo, relacionamos os principais problemas de saúde mental no trabalho e os sintomas mais frequentes. Veja!

Transtornos depressivos e de humor

Essa classificação tem como exemplo o Transtorno Depressivo Maior, conhecido apenas como “depressão”. Entre os sinais, estão:

  • humor melancólico ou apático;
  • perda ou ganho significativo de peso;
  • insônia ou excesso de sono quase todos os dias;
  • pensamentos autodepreciativos;
  • fadiga ou perda de energia frequente.

Transtornos de ansiedade

Aqui, estão incluídos a Síndrome do Pânico e o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG). Algumas das formas de manifestação desses problemas são:

  • dificuldade de concentração;
  • irritabilidade;
  • inquietação constante;
  • tensão muscular;
  • insônia;
  • dores de cabeça;
  • desconfortos de estômago;
  • taquicardia.

Os ataques de pânico são crises intensas de ansiedade, em que o indivíduo geralmente tem um pico de palpitações, aceleração cardíaca, tremores, dor no peito e falta de ar por alguns minutos. A Síndrome do Pânico ocorre quando os ataques de pânico se tornam frequentes, levando o indivíduo a experimentar preocupação constante de que ocorra novamente. 

Transtornos relacionados a trauma e estresse

Esses transtornos ocorrem após a exposição a um evento ou situação traumática ou muito estressante. Estão incluídos nessa classificação o Transtorno de Estresse Agudo e a Síndrome de Burnout. Alguns dos sinais são:

  • quadro de ansiedade e sintomas depressivos;
  • comportamento hipervigilante;
  • memórias intrusivas;
  • agressividade;
  • mudanças bruscas de humor;
  • lapsos de memória;
  • dificuldade de concentração etc.

Também são comuns sintomas físicos, como enxaquecas, sudorese, distúrbios gastrointestinais e dores musculares frequentes.

Quais são as ações que podem ser implementadas em relação aos transtornos?

Muitos transtornos emocionais podem ser tratados por meio de mudanças no estilo de vida, diminuição da exposição aos fatores estressores, terapias e, em alguns casos, o uso de medicamentos. Desse modo, a empresa preocupada em reduzir o índice de doenças crônicas e transtornos mentais e promover a reabilitação de colaboradores com esses problemas deve agir por três frentes:

  • proporcionar um ambiente de trabalho saudável, positivo e motivador;
  • incentivar comportamentos e hábitos saudáveis, como a prática de exercícios físicos, o cuidado com a qualidade do sono e a realização de atividades de lazer, de modo a promover a saúde física e mental;
  • contar com um bom programa de saúde mental, para que os casos que exigem assistência psicológica possam ser devidamente acompanhados.

Essas iniciativas da empresa devem ser vistas como um investimento estratégico em seu capital humano. Afinal, prezar pelo bem-estar dos colaboradores é primeiramente uma atitude humana e, em segundo lugar, trata-se de uma gestão que ajuda a reduzir custos e outros impactos negativos relacionados aos transtornos emocionais. 

Como o recurso de saúde mental da Sharecare pode apoiar essa missão?

A Sharecare está revolucionando a oferta de soluções para a gestão de saúde por meio de uma abordagem que integra as principais inovações da saúde digital (high tech) e a saúde humanizada (high touch). Um de nossos principais objetivos é auxiliar empresas a reduzir os custos e a sinistralidade do plano de saúde.

Para tanto, focamos a promoção de comportamentos saudáveis e de uma mudança na mentalidade acerca do uso de serviços de saúde a partir de um ecossistema de soluções conectadas. Entre elas estão as nossas linhas de cuidado, com jornadas modulares e dinâmicas que buscam engajar os beneficiários em seu autocuidado.

O Programa de Saúde Mental da Sharecare é ideal para as empresas preocupadas com a prevenção e o tratamento de transtornos mentais entre seus colaboradores. Ele ajuda a aumentar o reconhecimento de colaboradores com Condições Mentais Comuns (CMC) e estratifica níveis de gravidade para proporcionar o apoio adequado e auxiliar a empresa na coordenação de cuidados médicos.

Tudo isso é feito com recursos digitais de última tecnologia e uma equipe multidisciplinar de profissionais. Veja alguns exemplos de conduta do Programa de Saúde Mental:

  • colaboradores com risco baixo — engajamento na promoção de saúde e na manutenção de bem-estar;
  • colaboradores com risco moderado — telemonitoramento de saúde mental a cada 45 dias e engajamento com tratamento psicológico e psiquiátrico;
  • colaboradores com risco grave — telemonitoramento a cada 30 dias e engajamento com tratamento psicológico e psiquiátrico.

Esses são apenas alguns exemplos de como a Sharecare auxilia no combate aos transtornos emocionais de acordo com o grupo de risco e por meio de uma jornada clínica que visa a real conscientização sobre a importância da saúde e do bem-estar.

Como você viu, os transtornos emocionais acometem muitas pessoas no ambiente profissional, problema que se intensificou com a pandemia de Covid-19. Ao contar com as soluções para gestão de saúde da Sharecare, a empresa consegue prevenir afastamentos, proporcionar mais qualidade de vida aos seus colaboradores e, assim, promover mais produtividade e reduzir custos médicos.

Então, entre em contato conosco e conheça melhor essa e outras soluções do ecossistema de saúde da Sharecare!

Panorama sobre os custos da obesidade para o sistema de saúde brasileiro